Quem foi que fez a capa de Candy-O, segundo disco da banda new wave The Cars (1979)? Sim, aquele cuja capa era o desenho de uma modelo deitada sobre um carro de luxo? Foi esse cara aí de cima, do lado da capinha do álbum: Alberto Vargas.

Sim, o desenhista peruano Alberto (1896-1982) já tinha bastante experiência e uma longuíssima carreira quando foi procurado por David Robinson, baterista e diretor de arte do The Cars, para que fizesse a capa do disco. Tinha 83 anos, estava sumido do mercado de artes gráficas havia cinco anos (por causa da morte da mulher) e, nos anos 1940, tinha transformado seu sobrenome em sinônimo de pin-up, por causa das garotas sensacionais que desenhava para a revista americana Esquire, e para outras publicações.

Olha algumas delas aí.

E a capa de Candy-O, dos Cars, que foi feita por um mestre das pin-ups? E a capa de Candy-O, dos Cars, que foi feita por um mestre das pin-ups? E a capa de Candy-O, dos Cars, que foi feita por um mestre das pin-ups? E a capa de Candy-O, dos Cars, que foi feita por um mestre das pin-ups? E a capa de Candy-O, dos Cars, que foi feita por um mestre das pin-ups? E a capa de Candy-O, dos Cars, que foi feita por um mestre das pin-ups?

Filho do fotógrafo Max Vargas, Alberto foi marcado pelos ensinamentos do pai (aprendeu a mexer num aerógrafo aos 13 anos) e pelas capas sensuais da revista francesa La Vie Parisienne, que conheceu ao acompanhar Max numa viagem a Paris. Em 1916, já vivendo nos EUA, começou a fazer desenhos de moda.

De contato em contato, acabou na Paramount Pictures. Passou a desenhar calendários e chamou a atenção da Esquire, que botou Vargas para ilustrar seus calendários com pin-ups. Eram as chamadas Varga Girls (ao começar a trabalhar para a Esquire, Alberto topou limar um “s” de seu sobrenome). Alberto também desenhou bastante para a Playboy e fez pôsteres de filmes, com atrizes como Jane Russell, Ann Sheridan, Ava Gardner, Marlene Dietrich e Marilyn Monroe.

A prova de que Vargas faz parte do cânone pop: uma de suas pin-ups está imortalizada na capa de Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles (1967).

No vídeo abaixo, o próprio Robinson conta um pouco da história da capa de Candy-O. A banda queria “algo meio pin-up” em Candy-O, mas não sabia que Vargas ainda estava vivo. O batera do Cars foi visitá-lo e viu Vargas desenhando enquanto fumava e bebia café compulsivamente. Para que ele fizesse os desenhos, a banda encomendou uma série de fotos em que uma modelo apareceria deitada sobre o capô de uma Ferrari 1972, numa venda de carros em Beverly Hills.

Um detalhe é que a garota que foi para as fotos e para a capa do disco se chamava realmente Candy – era Candy Moore, a mesma atriz que fez a filha de Lucille Ball na série Show da Lucy.

Aliás, pega Candy-O aí.

Via Pin-Up Files.