Conhecido como “o homem de mil vozes”, Mel Blanc (1908-1989) era o responsável por dar voz a personagens como Pernalonga, Gaguinho, Piu-Piu, Pepe Le Pew, Ligeirinho, Barney (dos Flintstones) e, nos primeiros tempos, ao Pica-Pau. Também fez extensa (seis décadas!) carreira em rádio. Além de produzir efeitos vocais para episódios de Tom & Jerry.

E olha aí o que ele andava fazendo em 1951. Naquele ano, ele protagonizou ao lado do compositor e trilheiro americano Billy May (1916-2004) o filme de trinta minutos Wanna buy a record?. Era uma produção bem-humorada da Capitol Records – feita apenas para uso promocional – que trazia Blanc como um vendedor de discos que, aporrinhado com a falta de compradores, decide abordar pessoas na rua e oferecer LPs e compactos. Encontra um sujeito (May) que entra na sua loja, mas se recusa a pagar 85 cents por um disco.

A partir daí, você não vai mais conseguir parar de ver o filme – que tem legendas automáticas em inglês. Blanc pega o cara pelo braço e o leva até a sede da Capitol para ver como é gravado um disco. Os dois conhecem os estúdios, veem Dean Martin gravando e o personagem de May até se enfia no ensaio de um grupo vocal.

Depois os dois querem ver como é fabricado um disco. Só que descobrem que a fábrica da Capitol fica a quilômetros de distância dali. Sem problemas: a dupla pega um avião e vai conferir o processo da fabricação de vinil em 1951.

Um dos maiores destaques do filme aparece logo nos primeiros minutos e é de um humor que, hoje em dia, nenhum mago do storytelling deixaria entrar num filme promocional: é quando a narração mostra como “os novos talentos” são recebidos na Capitol. E o final é bastante engraçado. Confira aí.