É possível a gravação de uma canção render um documentário de TV com duração de uma hora? Com muita criatividade, disposição e amor pela pauta, é. Em 1980 a BBC fez exatamente isso com o XTC, quando os reis do power pop foram a um estúdio de propriedade de Richard Branson, dono da gravadora Virgin, gravar uma versão diferente do single “Towers of London”. Ligaram a câmera e condensaram em 60 minutos o fim de semana que o grupo passou lá gravando, junto com o produtor Steve Lillywhite (então um rapagão de 25 anos, também entrevistado pela equipe da BBC). Saiu “XTC at the Manor”, que você vê abaixo (infelizmente, sem legendas).

O “Manor” do título é o então estúdio de Branson, que é um caso a parte: o dono da Virgin comprara uma casa enorme em Oxfordshire, em 1971 e a transformou em um estúdio fodaço de gravação. Vários discos legendários lançados pela Virgin saíram de lá: “Tubular bells”, de Mike Oldfield (1973) e “Metal box”, do PiL (1979), por exemplo. A última banda a gravar lá foi o Cast, com o clássico “All change” (1995). A EMI, proprietária do estúdio em seus úktimos anos, o vendeu e hoje o imóvel é a casa da Marquesa de Headfort (!).

O doc é rico em imagens do local, e Branson aparece em vários momentos posando no teto da propriedade, ou jogando peixes no lago, e também mexendo na terra. Todos os músicos do XTC também falam bastante sobre sua relação com a música, sobre como começaram a tocar e assuntos afins.

O fato de todos estarem relaxando na casa de Branson ajudou o grupo a criar bastante e experimentar coisas novas. Num determinado momento, o grupo e o produtor descobrem que uma enorme barra de ferro, quando batida com um martelo, soltava um som bastante melódico, como o de um sino. A cena é engraçada: meio constrangido, o baterista Terry Chambers segura a barra (literalmente) enquanto um dos técnicos bate nela com um martelo, no ritmo da música. Depois é a vez do vocalista e cantor Andy Partridge fazer o mesmo com um extintor de incêndio.

E vale lembrar que tem documentário do XTC vindo aí. “This is pop” sai em breve justamente pela BBC e a ideia é fazer bem diferente dos outros documentários de rock. “Não gosto de nenhum deles. São só entrevistas vazias com músicos falanso sobre os bons tempos”, chegou a resmungar Andy em entrevistas.