O programa “Minha Brasília”, apresentado por Daniel Zukko, tem uma receita bem interessante: Daniel leva pessoas conhecidas para dar uma volta na capital federal, de carona com ele numa… Brasília. O lance vem dando certo – além do canal no YouTube, a Band também exibe a atração – e Zukko vem chamando a atenção como apresentador e entevistador. Personalidades como o humorista Ceará, Dan Stulbach, Astrid Fontenelle, Lucio Mauro Filho e o ex-jogador Clauidio Adão já estiveram de copiloto no carro de Zukko.

Nessa semana, a entrevista rende vinte minutos de diversão para fãs de pós-punk e rock brasileiro dos anos 1980: André X, baixista e criador da Plebe Rude, foi o convidado de Zukko. Olha aí.

Além de contar histórias sobre a formação da banda, revelou que o nome “plebe rude” veio de uma expressão que seu tio usava quando sua família ia visitar os parentes em Curitiba, cidade natal de André (“chegou a plebe rude!”, ele dizia). E que tinha originalmente sido tirado de uma música gravada por Maria Bethânia. Era o samba “Café soçaite”, feito por Miguel Gustavo e gravado por um sem-número de artistas, e que tinha o verso “enquanto a plebe rude na cidade dorme”. Também falou sobre sua amizade com ninguém menos que Lulu Santos. Confira aí (link sugerido pelo amigo André Nascimento).

De brinde, pegue aí a Plebe abrindo no ano passado o show do Guns N Roses, com “Até quando esperar”.