Lá por 1907, o escritor Franz Kafka era descrito por seus médicos como um sujeito fraco e magrelo. Até que lhe caiu nas mãos um livro de um sujeito que estava se tornando uma espécie de coach de exercícios físicos, lá pelo começo do século 20. Bem antes do termo coach significar alguma coisa, aliás.

Um marombeiro chamado Kafka
Versão para mulheres do livro de Müller

Jørgen Peter Müller era, além de um professor de educação física, um cara bastante carismático. Publicou em 1904 My system, um livro que prometia fazer um “antes” e “depois” radical em qualquer pessoa, desde que ela fizesse pelo menos quinze minutos de exercícios todos os dias. Na foto acima, o fortão Müller aparece à esquerda e o angustiado Kafka, à direita.

Muller costuma ser definido por uma turma enorme como um “precursor do pilates”. Seus exercícios deveriam ser feitos usando apenas o peso do corpo, sem halteres ou outros complementos. O nome do professor ficou tão famoso que, assim como hoje em dia todo mundo falar “vou treinar”, os fanáticos por exercícios do século passado, lá na terra de Kafka, falavam algo como “fazer Muller” (enfim, da mesma forma que tem gente que até hoje fala em “teste de Cooper”, sem ter conhecido um cara chamado Kenneth Cooper).

Tem quem jure – nós do POP FANTASMA somos pelo sedentarismo de cem metros rasos – que os exercícios de Müller estão valendo até hoje. São agachamentos, flexões e outros movimentos que dão uma delineada no corpo e ajudam a manter a forma, sem exageros na hipertrofia. Muller, diz um texto do site Mental Floss, também foi pioneiro em ensinar a seus alunos coisas básicas: durma oito horas por dia, beba com moderação, não fume, tome banho todos os dias e escove os dentes.

Kafka ficou tão fanático que indicava o proto-crossfit de Müller para todos os amigos e até para sua noiva. Naquela época, para o incansável Müller, quem acordava de sonhos intranquilos era o trabalhador comum de escritório, que ele costumava definir como um “triste fenômeno prematuramente torto, com ombros e quadris desordenados por sua posição deslocada no banco do escritório, pálido, com rosto cheio de espinhas e cabeça enrugada, pescoço fino”.

Se você está louco para ver o que seu escritor preferido fazia no treino diário, Müller te mostra. Pega aí. Vamos malhar!

Esse vídeo aí dá uma explicada no tal método de Müller e explica porque ele continua atual.

Com vontade de ver o sistema de exercícios de Müller? O livro dele tá aqui. Abaixo seguem alguns modelos.

Um marombeiro chamado Kafka
Um marombeiro chamado Kafka
Um marombeiro chamado Kafka