Drácula, de Bram Stoker, ninguém discute, virou um dos textos que servem para explicar a história da cultura gótica no mundo. O que muita gente não lembra é que por bem pouco, o conto de Stoker não foi eclipsado por outro conto que fez bastante sucesso no século 19. Era The Beetle: A mistery (O Besouro: Um Mistério, 1897), de Richard Marsh.

The Beetle: aquela história assustadora que rivalizou com Drácula

Um texto publicado na comunidade The Gothic Vault lembra da história, e recorda que The beetle começou sua serialização dois meses antes da publicação de Drácula. O título inicial era The peril of Paul Lessington: The story of a haunted man (O perigo de Paul Lessington: A história de um homem assombrado).

“A publicação da primeira edição em forma de volume em setembro de 1897 foi uma sensação literária com três reimpressões no ano, e vinte e quatro edições até 1927, superando as vendas de Drácula, de Stoker. Foi transformado em filme mudo já em 1917. No entanto, com o lançamento da adaptação de Nosferatu de F.W. Murnau, o personagem de Marsh foi cada vez mais foi negligenciado, enquanto a estrela de Drácula ascendia”.

Não achei o tal filme no YouTube. Mas tem um humilde audiobook com toda a história, que dura mais de onze (!) horas.

Olha o enredo aí:

“Robert Holt, um funcionário sem dinheiro, entra em uma casa estranha para passar a noite lá. Ele encontra um besouro grande e é hipnotizado até a paralisia. O besouro assume uma forma humana chamada de árabe. Ele envia Holt para a casa de Paul Lessington, membro da Câmara dos Comuns, para roubar o conteúdo de uma gaveta protegida. O árabe vê através de seus olhos e o ordena para a frente. No entanto, Lessington o surpreende com as cartas roubadas e Holt grita com uma voz que não é o seu próprio ‘The Beetle’, quando Lessington fica incapacitado. As cartas que Holt entrega aos árabes são cartas de amor para uma mulher, Marjorie Lindon, que podem comprometer Lessington. O envolvimento do jovem com Lindon é mantido em segredo porque o pai dela é um oponente político.

Um dia, o árabe aparece no laboratório de Sydney Atherton, que também é apaixonado por Marjorie Lindon, e pede que ele junte forças. Atherton declina quando percebe que o árabe tem os olhos de um hipnotizador. Mais tarde, quando Atherton e Lessington falam sobre superstições antigas e religiões extintas, o último traz transmigração e escaravelhos e ele admite que uma vez viu um sacerdote de Ísis se transformar em escaravelho. Quando Lessington está prestes a sair, ele vê a imagem de um escaravelho e fica tão incapacitado quanto antes quando Holt gritou ‘The Beetle’ … [Se estiver interessado, leia o romance e descubra como a história continua]”

O Gothic Vault aposta que o romance não teve a mesma permanência do Drácula por um motivo básico: a história fica arrastada depois de um certo momento, e não é clara na hora de explicar porque o tal do Besouro tem tanto mistério em torno de si, e como é sua metamorfose. De qualquer jeito, foi uma história notável pelo uso do hipnotismo e a tal figura parece mesmo representar uma ameaça para a Inglaterra, como o Conde Drácula. Enfim, só lendo.

Olha aí mais capas, ilustrações do livro e até uma imagem do autor.

The Beetle: aquela história assustadora que rivalizou com Drácula The Beetle: aquela história assustadora que rivalizou com Drácula The Beetle: aquela história assustadora que rivalizou com Drácula The Beetle: aquela história assustadora que rivalizou com Drácula