O canal de coisas sobre áudio antigo VWestlife recebeu uma fitinha 8-track estalando de nova. Veio da rapaziada do selo Common Time Tapes, localizado na Flórida, e especializado em fitas. Até o momento, o selo tem seis lançamentos. Alguns deles bastante criativos, como Atmos retro, do rapper JoDI, ligado ao triphop. A fitinha chega ao público com capa-surpresa, sem visual fixo. “Cada cassete tem um desenho aleatório. Ficará claro? Azul? Cor de rosa? Futurista? Retro? Quem sabe!”, contam.

A fita que chegou pra turma do canal é From yesterday’s perspective, de um misterioso projeto chamado Savannah Grand, que faz música instrumental lo-fi. O álbum foi lançado igualmente em K7 e ganhou uma tiragem limitada de cópias em 8-track. O Bandcamp dá dois avisos fundamentais para futuros fãs do grupo: 1) a fitinha de oito pistas etá esgotada; 2) “Os efeitos sonoros com rachaduras e estalos de vinil foram adicionados a algumas faixas para dar ambiência e sensação geral retrô. Os ruídos são intencionais e não resultado de uma gravação ruim”.

O formato 8-track, que chegou a ser bastante popular (até mesmo no Brasil), sumiu da agenda das gravadoras lá pela metade dos anos 1970. Muito embora o comércio de fitas de oito pistas virgens continuasse. Até porque no meio publicitário e no universo do rádio, o suporte continuou a ser popular.

Em 2000, para a surpresa de muita gente, saiu um disco ao vivo dos Melvins, Live at Slim’s, em 8 pistas.

>>> Veja também no POP FANTASMA: Preservando a memória dos… antigos cartuchos de 8 pistas (!)

O álbum foi lançamento não-oficial de um selo chamado Life Is Abuse, de Oakland, responsável por colocar nas lojas álbuns de bandas insociáveis como The Kicker (cujo LP Bobsaw, de 2011, traz na capa uma releitura bizarra do lay out de Unknown pleasures, estreia do Joy Division) e Ludicra. Não faço ideia de onde os fãs dos Melvins tocaram esse álbum, mas de repente quem tinha um aparelho antigo em casa, ou herdado dos pais, curtiu a fitinha.

Alguns anos antes disso, em 1988, gravadoras como a RCA e a Columbia, por intermédio de seus “clubes de discos” (que ofereciam álbuns a preços acessíveis) soltaram uma série de 8 tracks de discos de sucesso, como Joshua tree, do U2. O maior sucesso dessa leva foi a platinada coletânea Greatest hits, do Fleetwood Mac, lançada naquele ano.

Todo esse esforço foi insuficiente para provocar um revival, ainda mais numa época em que todo mundo só queria mesmo era saber de CD. Mas ainda hoje volta e meia alguém resolve tirar um barato lançando discos no formato.

>>> Veja também no POP FANTASMA: Tem gente lançando discos em cilindro, em pleno 2017

A ruidosa banda americana Oh Sees (e você até leu sobre isso no POP FANTASMA faz um tempo), por exemplo, viu rolar uma força-tarefa daquelas para que saíssem todos os seus discos numa caixa (!!!) de fitinhas de oito pistas. A galera do heroico e idealista selo 5Seven, que lançou o material, ralou feito uma trupe de condenados para poder mandar fazer cem cópias da caixa, já esgotadas.

“Nenhum fabricante faz 8-track hoje, então criamos todo o box set rastreando fitas existentes, para depois transformá-las em novos lançamentos”, diz o fundador da 5Seven Records, Maximiliano (que prefere não divulgar o sobrenome). Que, aliás, reuniu mais de uma dezena de artistas e designers para criar do zero os box sets. Juntos, eles trabalharam em tudo, desde a criação de arte para as capas das fitas, passando pelo zine de acompanhamento e pela criação de uma caixa especial para caber as fitas. Também houve a busca por cores específicas de fitas de 8 faixas e a restauração delas para uma qualidade audível”, explicou um excelente texto da The Verge.

E mais recentemente, o mundo das 8-track voltou a roçar o mainstream por intermédio de ninguém menos que Dolly Parton. A rainha do country lançou no finzinho de 2020 o disco de Natal A Holly Dolly Christmas.

>>> Veja também no POP FANTASMA: Nove discos lançados em… disquete (sim, isso existe)

“Tanto a versão em cassete quanto a de 8 faixas oferecerão uma faixa bônus exclusiva não disponível nos outros formatos. Mas se você está pensando em ir ao porão para ver se o seu player de 8 faixas ainda funciona, você pode se surpreender ao descobrir que uma cópia do álbum nesse formato custará US $ 54,99”, diz o site The Omak Chronicle. Não foi só ela, por sinal, que encarou o formato recentemente, como o próprio artigo diz. Em 2009 o Cheap Trick lançou o disco The latest em 8 pistas. Em 2019, a banda country The Midland soltou um disco em tiragem limitada também no formato, Let it roll.

Provavelmente esses lançamentos são insuficientes para dizer algo como “opa, vai rolar um revival das 8 track” (até porque, na boa, não deve haver fabricantes de aparelhos por aí). Mas se você por acaso curte esse tipo de suporte, tem até uma data vindo aí pra você comemorar. O DIA DA 8-TRACK (sério) rola no dia 11 de abril. “É um grande dia para estourar sua velha fita de oito trilhas e explicar aos confusos millennials o que é”, diz o site National Today, especializado em datas comemorativas e “dias de” coisas.

DEIXE UMA RESPOSTA