Opa, começou nesta segunda (24) e esquecemos de avisar, mas o canal Curta! apresenta uma sessão diária dedicada exclusivamente ao Festival do Rio, sempre à meia-noite.

A primeira delas trouxe Blitz, o filme, de Paulo Fontenelle. Na terça (25) é a vez de Gilberto Gil – Antologia Volume 1, de Lula Buarque de Holanda. Na quarta (26) O paradoxo da democracia, de Belisário Franca. Quinta (27) tem Banquete Coutinho, de Josafá Veloso. Sexta (28), Favela é moda, de Emilio Domingos. Sábado (29), é a vez de Clementina, de Ana Rieper. Domingo (30), tem Piripkura, de Mariana Oliva, Renata Terra e Bruno Jorge. O Festival do Rio foi afetado por causa da pandemia, mas está nos planos de seus organizadores uma edição inédita em 2021.

E logo no início de junho, os hits do Festival do Rio chegam ao Curta!On, streaming do Curta! no NOW, da NET / Claro. A plataforma reunirá 30 documentários que marcaram o evento em uma única pasta, chamada “Especial Festival do Rio”. Entre eles, estão alguns vencedores do festival, como Deixa na régua, de Emilio Domingos; Condor, de Roberto Mader, além de Piripkura e Favela É Moda, que integram também a programação do Curta!, na TV paga linear.

O Curta! pode ser visto nos canais 556 da NET / Claro TV, 75 da Oi TV e 664 da Vivo Fibra, além de operadoras associadas à NeoTV. O Curta!On, o novo clube de documentários do Curta!, está no NOW da Claro/NET.

Confira a lista completa de filmes da pasta “Especial Festival do Rio”, no Curta!On:

“Favela É Moda”, de Emilio Domingos
“O Paradoxo da Democracia”, de Belisário Franca
“Banquete Coutinho”, de Josafá Veloso
“Movimentos do Invisível”, de Flavia Guayer e Leticia Monte
“Clementina”, de Ana Rieper
“Excelentíssimos”, de Douglas Duarte
“Zuza Homem de Jazz”, de Janaína Dalri
“Clara Estrela”, de Rodrigo Alzuguir e Susanna Lira
“Piripkura”, de Mariana Oliva, Renata Terra e Bruno Jorge
“Karingana – Licença Para Contar”, de Mônica Monteiro
“A Batalha do Passinho”, de Emilio Domingos
“Deixa na Régua”, de Emilio Domingos
“Onde A Terra Acaba”, de Sergio Machado
“Condor”, de Roberto Mader
“Quebrando o Tabu”, de Fernando Grostein Andrade e Cosmo Feilding-Mellen
“Mario Lago”, de Marco Abujamra e Markão Oliveira
“Niemeyer – A Vida É Um Sopro”, de Fabiano Maciel
“O Desmonte do Monte”, de Sinai Sganzerla
“José e Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes
“O Mês Que Não Terminou”, de Francisco Bosco e Raul Mourão
“Cartola, Música Para Os Olhos”, de Lírio Ferreira, Hilton Lacerda
“Cinema Novo”, de Eryk Rocha
“Crítico”, de Kleber Mendonça Filho
“Democracia em Preto e Branco”, de Pedro Asbeg
“Diário de Uma Busca”, de Flávia Castro
“Francisco Brennand”, de Mariana Brennand Fortes
“Glaber O Filme, Labirinto do Brasil”, de Silvio Tendler
“Kaya N’Gan Daya”, de Lula Buarque de Hollanda
“Paulo Autran – O Senhor dos Palcos”, de Marco Abujamra
“Pierre Fatumbi Verger, Mensageiro Entre Dois Mundos”, de Lula Buarque de Hollanda
“Rocha Que Voa”, de Eryk Rocha
“Utopia e Barbárie”, de Silvio Tendler
“Vocacional, Uma Aventura Humana”, de Toni Venturi
“Sobral – O Homem Que Não Tinha Preço”, de Paula Fiúza
“O Mistério do Samba”, de Lula Buarque de Hollanda

DEIXE UMA RESPOSTA