Tem caixa do Can vindo aí

Uma novidade para os fãs da banda alemã Can: em 16 de junho sai – em vinil triplo, download, CD e streaming – “The singles”, compilação de todos os compactos do grupo. É a primeira vez, lembra o site Side-Line, que todos os singles do grupo aparecem reunidos juntos.

Aí embaixo, você já tem um brinde: o terceiro single da banda, raríssimo e nunca recuperado em LP de estúdio, “Turtles have short legs” (1971). Foi gravado nas sessões do disco “Tago mago” (1971) e trazia na formação Holger Czukay, Michael Karoli, Jaki Liebezeit, Irmin Schmidt e Damo Suzuki.

(por sinal, sem saber disso, relembramos um som do Can na primeira edição do nosso podcast INVISÍVEL – pega aí).

A caixa é um dos itens comemorativos dos 50 anos da banda. Neste sábado (8), a festa chega ao Barbican Centre em Londres, com o tecladista e fundador do Can, Irmin Schmidt, regendo a London Symphony Orchestra – será a primeira apresentação de um material orquestral composto por ele e pelo compositor alemão Gregor Schwellenbach, que esteve no Rio em janeiro para apresentações e é conhecido por misturar os universos da música clássica e dos sons eletrônicos). A peça, “Can dialog”, inclui partes das músicas mais conhecidas do grupo. Irmin também vai conduzir a versão orquestral de “La Fermosa, Bellet-Suite”, escrita por ele e, na segunda metade do concerto, um supergrupo (o Can Project) com curadoria de Thurston Moore (Sonic Youth) e formado por Steve Shelley, Deb Googe, James Sedwards, Pat Thomas, Valentina Magaletti e Tom Relleen, além do primeiro cantor do Can, Malcolm Mooney, vai apresentar “uma experiência completamente diferente de audição do material da banda”.

Em 2018 tem mais: a editora Faber & Faber vai lançar “All gates open”, livro dedicado à banda, que ganha edição especial em dois volumes: um com a biografia do grupo, outro (“Can kiosk”, de Irmin), com pensamentos, artes e entrevistas.