Quando o Scratch Acid surgiu, muita gente comparou o som barulhento e eletrônico desses texanos com o do Birthday Party, banda que tinha Nick Cave como vocalista. E de fato, o vocalista David Yow (que depois foi para o também megabarulhento Jesus Lizard) reconhece que “era mais parecido com Cave do que eu provavelmente gostaria de ser”.

O grupo foi influenciado por uma mescla de punk, psicodelia, sadomasoquismo e maluquices de estúdio. E, surgidos em 1982, levaram o rock para patamares inauditos na época.

Yow começara no baixo. Antes do Scratch Acid tocara numa banda punk no Texas que ele define como “Sex Pistols com um pouco de Ramones”. Por sinal, outros integrantes do Scratch Acid tinham também credenciais de assustar: o batera Rey Washam chegou a tocar no Lard e no Ministry. O grupo gravou pouco: raros EPs, singles e um LP, por selos especializados em ruído, como Rabid Cat e Touch And Go. Terminaram em 1987 e dois anos depois surgiria o Jesus Lizard, que chegou a ser resgatado pelo mainstream. Gravou os primeiros discos pela Touch And Go e depois foi para a Capitol/EMI.

Scratch Acid: barulho pioneiro dos anos 1980

Olha o primeiro EP do Scratch Acid aí. Saiu em 1984 pelo selo Rabid Cat. Stacey Cloud, que comandava a gravadora, se orgulhava de possuir um selo cheio dos contatinhos no mundo indie. “Conhecemos muita gente na imprensa e nas rádios, e temos muito airplay”, dizia.

O fator definitivo para a banda cruzar essa fronteira foi um split single gravado com o Nirvana em 1993 – com o Jesus tocando Puss e o trio de Kurt Cobain mandando Oh, the guilt. Na época, o Nirvana fazia muitas bandas alternativas virarem ouro. E Kurt Cobain era um grande fã do primeiro EP do Scratch Acid. Aliás, o Scratch retornaria para alguns shows em 2006 e 2011, e nessa época, faria uma turnê que chegou a Londres.

Em 1991, o podrésimo selo Touch And Go lançou uma coletânea do Scratch Acid, The greatest gift. Aliás coletânea é pouco: o disco tem tudo o que a banda gravou.


Em 2011, o Village Voice foi bater um papo com Yow e ouviu dele que não sabe qual foi a banda na qual ele gostou mais de tocar, de o Scratch ou o Jesus Lizard. Também revelou ter outras influências além de Nick Cave: Johnny Rotten (Sex Pistols), Lee Ving (Fear) e Lux Interior (Cramps).