Se você esbarrar com o King Crimson por aí, prepare-se para o barulho, no melhor dos sentidos. O velho monolito progressivo – e uma das bandas mais pesadas do estilo – tem circulado por aí com QUATRO bateristas, liderados pelo criador da banda, Robert Fripp (guitarra). O site da banda chama a atual fase da banda de “KCVII – Radical”, com o acréscimo de Mel Collins (sopros), Tony Levin (baixo e derivados), Pat Mastelotto (bateria e percussão), Gavin Harrison (bateria), Jakko Jakszyk (vocais, guitarra, flauta), Bill Rieflin (bateria, teclados), Jeremy Stacey (bateria).

Tem quem ache que isso seja só mais uma excentricidade do misterioso Robert Fripp, mas pelo que dá para ver no vídeo abaixo – um ensaio com três dos bateristas, em 2014, cada um tem uma função BASTANTE definida. Olha aí.

Para os muito fãs, olha aí o trio de bateras numa passagem de som.

Um time lapse da montagem do palco e da passagem de som no Japão.

Por último vale dizer que se você lamenta a falta dos discos do KC no Spotify, não desanime: Fripp pôs várias músicas importantes de sua discografia no canal da banda no YouTube e ainda pôs todos os discos para audição e download pago no site oficial do grupo.

(e quem chamou a atenção da gente para o vídeo foi o jornalista Sergio Martins, da “Veja”).