Tecladista não-oficial/oficial do Black Sabbath desde 1979 – chegou a assumir instrumentos como guitarra e baixo em saídas e entradas de integrantes – Geoff Nicholls teve sua morte, no sábado (28), confirmada no Facebook pelo perfil da banda Quartz, grupo de heavy metal britânico que ele fundou em 1974. E ao qual ainda permanecia ligado, após um retorno em 2011. Conhecidíssimo pelos fãs por causa de sua associação com o Sabbath, ele teve alguns hits bem interessantes com o grupo – entre eles, “Circles”, de 1977, que trazia Ozzy Osbourne nos backing vocals e Brian May (Queen) na guitarra.

Ouça a música abaixo. Um outro detalhe é que o Quartz foi um lançamento do selo Jet Records, fundado pelo pai de Sharon Osbourne, Don Arden.

Antes disso, no fim dos anos 1960, Nichols foi guitarrista solo do grupo Johnny Neal And The Starliners. Não foi um projeto que o agradou muito – não era som pesado, era uma mescla de som beat e música de cabaré que teve alguns sucessos e se manteve na mídia por bastante tempo, mas não foi para a frente. Em 1965, o grupo teve um sucesso (sem Nichols ainda) com “Walk baby walk”.

Pouco antes disso, ele participou do finalzinho da banda psicodélica britânica The World Of Oz – tocou órgão no grupo e chegou a fazer algumas gravações no disco de estreia da banda, esse do vídeo abaixo, lançado em 1969.

Nos últimos tempos, Nichols vinha tocando com Tony Martin, que foi vocalista do Black Sabbath de 1987 a 1991 e de 1993 a 1997. Olha aí um show inteiro de Martin com Geoff nos teclados em 2006.

Geoff lutava havia alguns anos contra um câncer de pulmão e teve sua morte confirmada no sábado. Amigos como Tony Iommi e Ozzy Osbourne (Black Sabbath) deixaram mensagens de pesar em redes sociais. Martin escreveu no Facebook que sabia do estado de saúde de Geoff há bastante tempo e falava com ele regularmente – a vez mais recente tinha sido perto do Natal. “Nem sei dizer o quanto estou triste com sua passagem, muito embora eu soubesse de seu diagnóstico”.