Logo no primeiro episódio de Ferris Bueller, série exibida a partir de 23 de agosto de 1990 pela NBC, e inspirada no filme Curtindo a vida adoidado, de John Hughes, o personagem título destroi um recorte de papelão em tamanho natural do ator Matthew Broderick, berrando que odiava a interpretação feita por ele. Isso porque Matthew, o Ferris no filme de 1985, não estava na série. O papel ficou com o ator, dublador e escritor Charlie Schlatter.

Rolavam várias outras variações em relação aos dois produtos. Pra começar, John Hughes, diretor de Curtindo…, nada tinha a ver com Ferris Bueller, cuja produção foi decidida pela Paramount. Jeannie, irmã de Ferris, era interpretada por Jennifer Grey no cinema. Na TV, a responsável pelo papel era ninguém menos que Jennifer Aniston, então com 21 aninhos. No filme, os pais dos irmãos Bueller eram Katie e Tom, mas na série mudaram para Barbara e Bob.

Olha a abertura aí.

Como você já deve estar imaginando, lá vai: não, Ferris Bueller não deu nada certo. Durou uma temporada de treze episódios e olhe lá. Aliás, uma reportagem do New York Times dava conta de que em 1990, séries inspiradas em filmes andavam bombando ao contrário. Olha o texto aí (em inglês).

Por que rolava essa rejeição? Bom, o New York Times localizou nessas tentativas a existência de personagens ruins e histórias que não funcionavam. E contou que já havia uma tendência natural do público de não gostar de filmes-que-viravam-séries, porque as produções eram sempre comparadas. Fora que as premissas simplificadas dos filmes arrancavam bocejos quando transformadas em programas mais extensos.

Na época, diz a matéria, a NBC tentou transformar O tiro que não saiu pela culatra (Parenthood, no original), comédia com Steve Martin e Rick Moranis, em série. Não deu certo, embora em 2010 tenha surgido outra série baseada livremente no filme, com o nome Parenthood. Em 1990, chegaram a pensar em levar para a telinha o filme Uma secretária de futuro, de Mike Nichols, com Harrison Ford, Sigourney Weaver e Melanie Griffith. Não saiu nem do papel.

Um detalhe curioso sobre Ferris Bueller, a série: os episódios tinham nomes inspirados em músicas ou frases da música pop e do rock. Olha aí o episódio Sloan again, naturally. O nome foi tirado do hit de Gilbert O’Sullivan, Alone again (Naturally).