Só pra avisar: nesta quarta (10), quem for fã de David Bowie que esteja na frente da TV às 21h30. Neste horário, o canal Bis vai exibir The last five years, documentário da HBO que foi lançado no Reino Unido neste domingo (7), um dia antes da data em que o cantor faria 71 anos.

Olha o trailer aí.

O filme foi dirigido por Francis Whately, que havia dirigido também Five years, doc sobre os anos de maior sucesso do cantor (você assiste a esse filme aqui, só que com legendas em italiano). Ao contrário do que aconteceu no documentário anterior, Whately – que aceitou a tarefa após a morte do artista – enfrentou montes de dificuldades. A começar porque Bowie sumiu da mídia em seus últimos anos de vida. O máximo com o qual Whately podia contar era com o acesso rápido a fontes importantes, como os amigos, colaboradores e produtores do cantor em seus últimos projetos.

Whately pegou uma época em que Bowie, já um sessentão, começou a repensar toda a sua vida. Em 2004, o cantor teve um ataque cardíaco após um show na Alemanha. Depois disso, fez aparições, shows e entrevistas contadas. Num papo com a Variety, o diretor recorda que Bowie quis apenas se tornar um homem de família.

“Eu acho que ele pensou: ‘Eu vou ver minha filha (Alexandra, nascida em 2000) crescer, eu quero levá-la para a escola e sair com os outros pais e conhecer seus professores e estar lá para assembleias escolares’, esse tipo de coisa. Eu acho que isso significou muito para ele e ele percebeu que as coisas reais na vida são o que importa. E, claro, um ataque cardíaco faz você reavaliar sua vida”, disse o diretor de The last five years.

A Rolling Stone viu o filme e observou que ele vai bem antes dos tais “últimos cinco anos”. Volta a problemas de saúde que Bowie passou a ter em sua última turnê, e que culminaram no tal ataque cardíaco. Tony Visconti, produtor e amigo de longa data, lembra que o cantor chegou a reclamar de cansaço. “Acho que ele cumpriu todos os seus desejos e sonhos, e ficou um pouco saturado”, recorda.

Esse aí é um show de Bowie nessa turnê, em Tókio.

Bowie, bastante elucidativo, mas parecendo um pouco abatido, numa entrevista na Austrália em 2004. No papo, ele diz que o que moveu seu processo criativo no começo dos anos 1970 era que, no fundo, ele queria escrever musicais para a Broadway.