MTV Unplugged, Acústico MTV, ou o que o valha, não importa. O formato, que marcou época entre os anos 1990 e 2000, foi tendo um e outro lançamento nessa década. E acaba de marcar um golaço com MTV Unplugged – Summer Solstice, disco novo da banda norueguesa A-Ha. Tá levando uma turma enorme a descobrir o quanto as canções do trio eram excelentes. E o formato, pelo menos lá fora, retornou mesmo. Shawn Mendes e o grupo indie-pop Bleachers já fizeram os seus, e os fãs adoraram.

O formato fez com que uma turma enorme (ainda mais no Brasil) mudasse a própria rota. Mas desde que os primeiros “acústicos” foram levados ao ar pela MTV, rolou muita coisa. Nem sempre a estação o viu como um campeão de audiência, nem artistas e gravadoras o viram como prioridade. E até que “MTV Unplugged” virasse uma marca forte, muitas tentativas foram feitas pela estação. Confira abaixo quinze shows desplugados que a MTV fez e você nem sabia. Ou nem lembrava.

JETHRO TULL O grupo de Ian Anderson esteve na estação em 1987 e soltou versões acústicas de Serenade to a cuckoo e Skating away (On the thin ice of the new day). O nome MTV Unplugged não existia, mas tem quem considere isso o primeiro “acústico” exibido pela estação.

XTC. A MTV gostou tanto do resultado com o Tull que chamou o XTC para gravar um número acústico lá. Na época, o grupo estava lançando um de seus melhores discos, Oranges and lemons (1989). Destaque para a bela King for a day.

SQUEEZE. Pronto: o nome “MTV Unplugged” começava, em 31 de outubro de 1989. O primeiro grupo a ser convidado para o novo conceito foi o Squeeze, que dividiu o palco com outros artistas (a cantora e compositora Syd Straw e o guitarrista dos Cars, Elliot Easton). E na época, “acústico” era basicamente entendido como interpretar uma canção quase no esqueleto. Não havia tratamento especial, arranjos especiais, nada disso.

AEROSMITH. A MTV deu uma baita bola fora não lançando o show acústico que o grupo fez por lá em 1990. De volta às paradas, releram clássicos como Dream on e Toys in the attic em versões blueseiras. E ainda complementaram com versões de Doors (Love me two times), Yardbirds (Train kept a rollin) e outros.

JOE WALSH E DR. JOHN. Por um momento, o formato serviu para que a emissora tentasse exibir configurações especiais de shows. A apresentação que uniu o ex-Eagles ao pianista foi uma delas. Quem se acostumou a ver tudo certinho no MTV Unplugged vai estranhar. Músicos chutam cases sem querer e Walsh parece perdido no palco. O apresentador Jules Shear (sim, havia um apresentador) canta duas músicas. Rolou em 1990.

YO! UNPLUGGED RAP. Rap acústico, hoje em dia, é mais do que comum. Em 1991, era altamente inovador. Em 1º de maio daquele ano, a MTV reuniu no mesmo palco A Tribe Called Quest, De La Soul, LL Cool J e MC Lyte. Quem viu não esquece.

THE CURE. O grupo britânico ligado ao pós-punk tocou lá em 1991. E deu na medida do possível, um ar hippie ao Unplugged. Tudo graças às percussões e à condução mântrica de Let’s go to bed. Fez também versões voz-e-violão para Just like heaven, Boys don’t cry e outras. Um registro da época em que o formato ainda permitia experimentações e rascunhos.

MARIAH CAREY. A versão dela para I’ll be there, do Jackson 5, que você ouve até hoje no rádio, veio daí. O Unplugged de Mariah foi feito em março de 1992, inicialmente apenas para ajudar na divulgação do segundo disco, Emotions (1991). Na época, rendeu apenas um EP de cinco faixas, que vendeu mais de dez milhões de cópias. Bom, esse aí você provavelmente sabia que existia (eu nem lembrava).

QUEENSRYCHE. Fazendo sucesso com uma balada acústica, Silent lucidity, o grupo de heavy metal encarou o palquinho do MTV Unplugged em abril de 1992. O engraçado é que alguém conseguiu toda a filmagem do show, sem cortes e edições, e jogou no YouTube.

JOÃO BOSCO. O fato de o cantor ter gravado um Acústico em 1992 não é tão desconhecido assim. O CD João Bosco Acústico fez até bastante sucesso. Mas o fato de não haver menção à MTV na capa do disco possivelmente faz até hoje com que muita gente pense que o primeiro CD da série gravado por um artista brasileiro foi o de Gilberto Gil, em 1994. Não foi, não.

BARÃO VERMELHO. E o de Gilberto Gil também não foi o primeiro porque, um ano antes até do de João Bosco, o Barão Vermelho gravou o seu Acústico MTV. Foi gravado em 1991 e só saiu em 2006 num box da banda, MTV Barão Vermelho.

Vale citar que nem o Barão Vermelho foi o primeiro. Quando o conceito do MTV Unplugged foi trazido ao Brasil, em 1990, a estação gravou um Acústico com Marcelo Nova. Mas era um programa piloto e nem foi ao ar.


ROXETTE.
Um show bem interessante que a MTV e a EMI (gravadora do Roxette) não lançaram. E perderam para o mercado pirata. Em 1993, o grupo sueco se tornou o primeiro artista de país de língua não-inglesa a aparecer no MTV Unplugged americano. Fizeram um show de quase uma hora e meia com vários hits. E regravações de músicas de Byrds (So you want to be a rock and roll star) e Aretha Franklin (I never loved a man the way I loved you). Showzão.

DURAN DURAN. Em 1993, popularíssimos por causa do Wedding album, os rapazes gravaram um episódio da série. Também não saiu em DVD, mas a MTV Brasil passava bastante o grupo tocando Ordinary world em formato acústico.

PHIL COLLINS. Pouca gente lembra disso, mas o carequinha rei do pop fez um Acústico MTV, em 1994. Só que o cantor andava com a popularidade meio em baixa nos EUA e o show foi exibido apenas na Europa. Os fãs adoraram e muitos acharam uma grande pena que essa apresentação nunca tenha saído em CD ou DVD.

GIORGIA. Se você nunca ouviu falar, é uma cantora italiana que faz r&b e costuma ser comparada com Whitney Houston. E em 2005 ela gravou o primeiro MTV Unplugged da operação do canal na Itália. Foi bem sucedido a ponto de ela ganhar disco de platina tripla.

E já que você chegou até aqui, pega aí o Right Said Fred (lembra?) tocando o hit I’m too sexy em versão quase acústica, com violão, baixolão e guitarra. Não, a MTV não fez um Acústico com eles. Foi um vídeo que eles fizeram para o MTV Most Wanted em 1993.