A distribuidora de filmes independentes Supo Mungam Films estreou no dia 16 de dezembro sua plataforma na web, a Supo Mungam Plus, focada em cinema independente e autoral. Além de produções como Filhos da guerra, de Agnieszka Holland, A camareira, de Lila Avilés, O funeral das rosas, de Toshio Matsumoto, e Um homem fiel, de Louis Garrel, o catálogo da plataforma inclui filmes ligados também ao universo da música pop, como Quando éramos bruxas, de Nietzchka Keene e estrelado pela cantora Björk, e Nico, 1988 de Susanna Nicchiarelli, sobre o conturbado fim de vida da cantora.

A empresa foi criada com o objetivo de distribuir filmes independentes internacionais no Brasil e, entre outros focos, distribui filmes de diretoras mulheres e de novo cineastas. Os sócios Pedro H. Leite e Gracie Pinto haviam tido a ideia em 2017, porque muitos filmes independentes clássicos não estavam disponíveis no Brasil.

“Com a pandemia, focamos em tirar o projeto do papel”, conta Pedro, que segue a mesma curadoria da distribuidora na plataforma, mas sem o compromisso de apenas lançar filmes atuais. “Focamos em filmes de todas as partes do mundo, que viajaram por festivais, e que gostaríamos que o público brasileiro os assistissem, pois são filmes de qualidade, que gostamos muito e que também nos marcaram”, conta.

Com a indisponibilidade de alguns filmes, o mais prático é recorrer à pirataria. Pedro acrescenta que também pensaram nessa “cauda longa” dos filmes independentes, que muitas vezes é suprida apenas por meios não-oficiais.

“A ideia é divulgar e apoiar o trabalho dos realizadores, que muitas vezes passam despercebidos, ou que precisam ser (re)descobertos. Somos uma empresa brasileira independente, e, definitivamente, qualquer forma de pirataria afeta nosso trabalho”, diz, explicando que filmes inéditos no circuito brasileiro, como Bird people, do francês Pascale Ferran, fizeram bastante sucesso no primeiro mês de plataforma.

“Quando as pessoas escolhem assinar um serviço como o nosso, além de apoiarem os realizadores, estão também apoiando nossa empresa e nossa equipe. Por isso, é muito importante falarmos e ter esta conscientização. Sabemos que muitas vezes diversos filmes não chegam ao Brasil, e por causa disso a pirataria acabava sendo uma alternativa. Mas esperamos que isso possa mudar em breve e esperamos fazer parte desta mudança. E que mais opções de filmes estejam disponíveis e acessíveis para o público brasileiro, via streaming e de forma legal. Prezamos muito pela qualidade dos filmes, tanto no vídeo quanto na legenda. A experiência de quem assiste é nossa prioridade sempre”, diz.

Você encontra mais informações sobre planos de assinatura no site da plataforma.

Tem conteúdo extra desta e de outras matérias do POP FANTASMA em nosso Instagram.