Morto na última quinta (17), o comediante Paulo Silvino passou – como é público e notório – por uma enorme porrada em 2 de novembro de 1993. O filho Flávio Silvino sofreu naquele dia um acidente de automóvel gravíssimo – o Voyage que dirigia foi atingido por um carro-forte na estrada de Araruama, na Região dos Lagos, Rio de Janeiro. Ele voltava de uma casa da família em Cabo Frio e estava divulgando um CD que tinha gravado pela Sony com shows pelo país.

Flávio passou um bom tempo em coma. Um drama que vazou para um dos raros momentos em que Paulo Slvino decidiu ser sério na vida – correndo o disco de ser triste. O ator escreveu uma peça chamada Brains, um monólogo que o trazia no palco, esperando a melhora do filho. Numa reportagem da IstoÉ Gente com Flávio, disse que estava aguardando patrocínio para levá-la aos palcos.

Se alguém lembra das poucas reportagens que saíram nos anos 1990 sobre a peça (Paulo falou dela também num papo para a Revista de Domingo, do Jornal do Brasil, em 1994) e ficou curioso de saber se ele levou o texto aos palcos alguma vez, vai aí a informação: isso nunca aconteceu e Paulo simplesmente desistiu da história. Falou isso para mim numa matéria da Billboard Brasil em julho de 2010, em que enfoquei o lado de músico dele.

“Eu jamais faria isso. Já foi chato de escrever, imagina para encenar? Quem andou com essa peça na bagagem foi o (comediante) David Pinheiro, mas nunca mais falei sobre isso com ele. Sei que ele faria muito bem”, disse para mim o humorista na época, afirmando que a peça “começa no dia em que o Flavio levou a porrada e vai até quando ele saiu do coma, um ano depois”. Na época, Silvino tinha planos, ao lado do roteirista Mauricio Sherman, de levar Flávio – que voltara às novelas em Laços de família, de Manoel Carlos, em 2000 – para o humorístico Zorra Total, no mesmo quadro de terror no qual ele fazia o impagável Lobichomem. “Ele vai ser um Frankenstein gato, feito com pedaços dos corpos de vários galãs, vai comer todo mundo… Humor negro, claro”, anunciou (o quadro não chegou a ser feito).

Aliás, se você nem sabia que Flávio Silvino tinha um disco gravado, pega aí as músicas do disco que estão no YouTube.