Nas primeiras horas do ano de 1983, um sujeito que possuía em casa duas invenções bastante queridas e recentes no Brasil – um videocassete e um controle remoto – e aparentemente estava sem ter muito o que fazer, decidiu zapear por todas as estações de TV de São Paulo e gravar o resultado. Que, em janeiro desse ano, alguém (ou ele próprio) decidiu subir para o YouTube.

Tá aí a primeira parte da série “A maldição do controle remoto”, que em meia hora proporciona um coquetel de imagens EXTREMAMENTE bizarras e/ou saudosas ao espectador. Quem assistir, ganha de brinde esses momentos:

1) Trechos do “Programa Ferreira Neto” (não sabe quem é? google, pls) especial de fim de ano, com participações do humorista José Vasconcelos e do político José Serra (“é o homem forte aí do esquema…”, diz o apresentador, antes de ser cortado)

2)Uma edição do “Programa Barros de Alencar” com um calouro absolutamente fora do tom, tentando cantar “Me use, abuse” (música lançada em compacto por ninguém menos que Wagner Montes) e extremamente puto por ter sido gongado pelo júri. Que tem como um dos integrantes Genival Lacerda – responsável por uma atuação inacreditável, em que tira o microfone da mão de uma colega de júri para informar que “transmissão quem faz é o Silvio Luiz”. É a partir de 20:10 e dura uns quatro minutos, veja tudo.

3) Entrevista num programa bizarro com a atriz Zilda Mayo, em que ela fala da pornochanchada “Escândalo na sociedade” (que estrearia em 1983) e diz que “não aparece nua no filme”. Uma das pessoas da técnica avisa a ela e ao apresentador que não vai ver o filme.

4) A cobertura generosa dos carnavais do Rio e São Paulo do SBT, com entrevistas de ninguém menos que Wilton Franco (então apresentador do “O povo na TV” e depois diretor de “Os Trapalhões”). Wilton bate um papo mais ou menos com Nara Leão e tem uma conversa animadíssima com Sergio Mallandro.

5) Também no SBT, Almir Rogério dublando o hit “Fuscão preto”.