“Comecei a compor desde os 14 anos e até agora… Mais ou menos uns vinte anos que eu componho”. Aos 24 anos, dando uma sensível embaralhada no tempo e retomando a carreira após o sucesso com o disco Pérola negra (1973), Luiz Melodia apresentava a canção Ébano no festival Abertura da Rede Globo. A música virou finalista e fez com que ele conquistasse um contrato com a Som Livre (pela qual lançou o LP Maravilhas contemporâneas, de 1975). A novidade é que aos poucos estão surgindo uns vídeos antigos de Luiz Melodia e um deles é o da final do Abertura, com Ébano anunciada pelos apresentadores José Wilker e Marcia Mendes. A tal frase do Luiz aí no começo do texto é de uma entrevista dele logo no início do vídeo. Atenção para as participações dos saudosos Oberdan Magalhães (Banda Black Rio, anunciado como arranjador) e José Roberto Bertrami Azymuth, no piano)

Jogaram também no YouTube o lançamento de Juventude transviada no Fantástico em 1975, com Luiz Melodia (apresentado por Fulvio Stefanini) cantando numa favela em meio a barracos e escombros. Na época, óbvio, isso não era chamado de clipe.

Tem também o vídeo de Presente cotidiano (do disco Mico de circo, de 1978), gravado em 1979 na Bahia e também exibido no Fantástico – mas esse já está desde 2009 no YouTube.

Pega aí também o áudio inteiro de Ébano, gravada em estúdio. De nada.


Confira também: Dez músicas de Luiz Melodia que NÃO são do disco Pérola negra.