A situação dos Rolling Stones estava bastante venturosa em 1981, quando Bill Wyman, então baixista da banda, decidiu retomar uma carreira solo que estava parada desde 1976. A banda se encontrava numa fase comercial bem interessante, estava para iniciar uma grande turnê nos Estados Unidos e assinaria em pouco tempo um contrato milionário com a gravadora CBS (hoje Sony), que passaria a lançar os discos do selo Rolling Stones Records.

O que ninguém esperava era que Wyman, tido como o baixista quieto dos Stones, se lançasse como… cantor de synthpop e new wave. Pelo menos foi isso que ele fez em (Si si) Je suis un rock star, seu single de 1981.

Si si tinha sido gravada originalmente por Wyman numa demo para ser enviada para Ian Dury, um dos maiores nomes da new wave. O baixista dos Stones achava que a canção tinha bastante potencial, mas não queria mais voltar para a carreira solo e achou melhor que fosse gravada por outro artista.

Só que Ian nem sequer chegou a escutar a música porque todo mundo em volta de Bill achou que ele mesmo deveria gravar aquela maluquice. Sobrou para o baixista, que àquela época, já estava de qualquer jeito trabalhando na trilha sonora do filme de aventura Inferno verde, que acabou ganhando a música.

No filme The quiet one, sobre a história de Wyman e o catálogo que ele tem de raridades dos Stones (e que foi exibido até semana passada pelo festival In Edit), o baixista é visto gravando a faixa, usando uma bela camisa do Duran Duran (!). O atrevimento do músico deu certo: a canção (gravada no idioma que Wyman chamou de “francês cockney”) ficou semanas no Top 40 do Reino Unido. E acabou tocando no rádio até no Brasil.

Possivelmente isso se deu pelo clima latino-brega-eletro da faixa, que parece É bom para o moral, da Rita Cadillac, e cuja letra cita o Rio. E também por causa do lado B do single, que trazia uma música chamada Rio de Janeiro, cuja letra falava em “mulheres lindas tomando banho de sol” e “garotos cuja ambição é jogar futebol”.

Bill Wyman, o disco epônimo que trazia as duas músicas, saiu em março de 1982, e trazia uma lista de participações que incluía integrantes dos Stray Cats, o filho de Bill, Stephen (que fez as fotos e tocou sintetizador) e Chris Rea.