– Dá para acreditar no disco novo do Weezer? Bom, a banda norte-americana que fez alguns excelentes discos nos anos 1990 (mas não manteve tanto assim a média nos últimos anos, bom dizer) volta em 27 de outubro com o 11º disco, Pacific daydream. Rivers Cuomo (voz, guitarra, teclados), Patrick Wilson (bateria), Brian Bell (guitarra, teclados) e Scott Shriner (baixo, teclados), que volta e meia vêm com alguma referência aos Beach Boys em letra, melodia ou título de música, compuseram agora uma música chamada… Beach Boys. Olha aí.

– Não, a música não lembra em nada o som dos Beach Boys. O som está mais para o indie-pop e a letra traz versos como: “Aumenta o som, são os Beach Boys/cantando com vocais doces/(…) fazendo meus olhos ficarem marejados”. Um release já descreveu o disco como “os Beach Boys e The Clash se amando em meio ao oceano e tendo um bebê fantástico”.

– Você já conhece outras duas músicas do disco que vem aí. Uma delas é Feels like summer, que ganhou dois clipes: um oficial e um outro no qual fazem uma homenagem-zoação ao Guns n Roses.

– E teve Mexican Fender, com participação da modelo e atriz Chloe Mae, cuja letra fala de um amor de verão que começa numa loja de guitarras, enquanto o vendedor tenta distrair o personagem mostrando a ele uma Fender mexicana (sinônimo de guitarras baratas e meio vagabundas que costumam ser empurradas para fregueses desavisados em lojas, como apontou nosso amigo Leandro Saueia).

Feels like summer deu uma assustada em alguns fãs do Weezer por causa de sua batida dançante e pela presença de Jonny Coffer, que já fez e produziu músicas para Beyoncé, Emeli Santé e All Saints, e o israelense J.R. Rotem, colaborador de nomes como Avirl Lavigne e Jason Derulo.

Blessed and thrilled!!! We did it again @bigevil

A post shared by JONATHAN "J.R." ROTEM 🇮🇱 (@jrotem) on

– Já em Mexican Fender, o fator apavoro pode ser a presença, como co-autor e produtor, de Toby Gad, parceiro de Madonna, Selena Gomez, Jessie J e Fergie. E também de Beyoncé.

Selena Gomez

A post shared by Toby Gad (@tobygad) on

– Contando, na discografia, com vários discos conhecidos pelas cores da capa (o mais recente, de 2016, é o “the white album”), o Weezer chegou a anunciar que vinha aí o “black album”, muito embora o repertório seja bastante ensolarado e nada sombrio. Mas o grupo desistiu do título e ficou Pacific daydream.

– Cuja capa é essa aí.

– Rivers Cuomo decidiu pelo título novo ao deparar com um velho conto chinês que falava sobre um sábio, Chuang Chou, que sonhou que era uma borboleta – e ao acordar, perguntou-se se era um sábio chinês que sonhara que era uma borboleta, ou se era uma borboleta sonhando que era um sábio chinês. Sim, Raul Seixas também já ouviu esse mesmo conto e já escreveu uma música a respeito.


Pacific daydream tem produção geral de Butch Walker, que trabalhou com a banda em Raditude (2009). Butch veio do glam metal e do pós-grunge e tocou nas bandas Marvelous 3 e SouthGang, e já produziu discos de Pink, Taylor Swift, Never Shout Never e outras bandas. Se valer o que já foi divulgado pelo próprio Weezer, a ordem das músicas do novo disco é essa: Mexican Fender, Beach Boys, Feels like summer, Happy hour, Weekend woman, QB Blitz, Sweet Mary, Get right, La Mancha screwjob, Any friend of Diane’s