Seu lacre pode virar lucro. O Medium, plataforma de publicação voltada para textões, resolveu substituir faz alguns dias a maneira como você diz que curtiu o texto de alguém: em vez do “coraçãozinho”, tem duas mãos simbolizando o bater de palmas. E para dizer o quanto você gostou de um texto, deve bater palmas quantas vezes achar necessário. E detalhe: o número de palmas recebidas por um texto vai indicar o quanto o autor irá receber (sim, money).

O Medium estava remunerando seus autores dividindo a taxa de assinatura mensal de sua página entre os artigos lidos. Agora mudou: quanto mais popular for um artigo, mais ele ganha. Enfim: pessoas que escrevem textos extremamente lacradores, teoricamente, ganham mais. O logotipo da empresa, aliás, mudou também e ganhou uma cara mais clássica.

Medium

No momento, a empresa está dividindo entre autores a mensalidade cobrada dos assinantes (US$ 5) e não está embolsando sua parte na grana das assinaturas, para pode atrair mais colaboradores. O sistema de assinatura por este preço foi lançado em março. O Medium vem passando por mudanças drásticas desde janeiro, quando demitiu um terço de seus funcionários e deixou da lado o sistema de anúncios, por sentir que não conseguiria competir com Google e Facebook. “Precisamos de um sistema que financie histórias e ideias, não apenas com base em sua capacidade de atrair a atenção, mas em seu valor para os leitores”, chegou a afirmar em março o CEO do Medium, Ev Williams.