O segmento (sim, é um segmento) de filmes educacionais sobre doenças sexualmente transmissíveis rende altas bombas e pequenos momentos de diversão meio cruel. No Brasil, que eu me recorde, esse tipo de produção foi bastante explorada na época em que todo filme precisava ter um curta-metragem na abertura (lá pelos anos 1970 e 1980).

Já lá fora, havia desde anúncios ensinando que doença venérea é “para todos” (com imagens de bebês e de pais divertindo-se com suas famílias) até coisas bem mais sérias, como o desenho animado de 1974 que ensinava como pegar gonorreia. E os já populares desenhos da Disney, como Familly planning, ensinando sobre planejamento familiar em 1968 (apresentado por um insuspeitíssimo Pato Donald). E The story of menstruation, feito em 1946 e patrocinado pela Kotex, selo feminino da empresa medicinal Kimberly-Clark. E que passou para a história como sendo a primeira película exibida a conter a palavra “vagina”. Falamos dos dois aqui.

Não foram os únicos filmes sobre “esses assuntos” produzidos pela Disney. Aliás, nem filmes, nem qualquer outro produto. Em 1944, a empresa, envolvidíssima com a produção de filmes de treinamentos para soldados, fez o A few quick facts No. 7 – Venereal disease (não achamos no YouTube). E nesse mesmo ano, ninguém menos que o ratinho Mickey aparecia comentando sobre o tratamento de gonorreia à base de sulfa (antibióticos da família das sulfamidas, enfim). No fim da historinha, Mickey aparecia tomando uma overdose de remédios (!). O Open Culture já falou disso e tem um trechinho dessa história aqui.

E tá aí um filminho bem curioso lançado pela Disney em 1973: VD attack disease, que mostra um verdadeiro ataque feito por doenças como sífilis e gonorreia no organismo, e como combatê-lo.

Um textinho do site Otherzine chama a atenção para alguns detalhes que colocam esse filminho da Disney num universo bem mais “progressista” do que as produções comuns. Primeiro porque o roteiro ao menos leva em conta a possibilidade de contaminação entre pessoas do mesmo sexo que transem desprotegidas. E além disso, em vez de estabelecer a abstinência de sexo como solução para todos os males, indica às pessoas (de todas as orientações sexuais) que o melhor meio de NÃO pegar doenças venéreas é usar camisinha.

E, vá lá, como os primeiros filmes sobre doenças venéreas haviam sido feito para militares, alguém achou que uma metáfora com o militarismo ajudaria a mensagem a chegar a mais pessoas. Tanto que os “inimigos” da saúde comportam-se como um exército (e – opa – usam boinas vermelhas). O comandante exorta os soldados avisando que “vocês são germes infecciosos, nunca se esqueçam disso” e diz que todos devem aproveitar os pequenos erros das pessoas para infectar todo mundo.

Um detalhe para fãs de desenhos ou da Disney é que a animação foi feita por um dos primeiros desenhistas da empresa, Les Clark, que já trabalhava lá na época da criação de Mickey Mouse.