Kurt Cobain, como é público e notório completaria 50 anos hoje. Por coincidência, um dos itens mais compartilhados pelos fãs do vocalista do Nirvana (morto em 1994) é uma lista escrita à mão por ele, com “os 50 discos favoritos do Nirvana”.

Ela figura no livro “Journals”, lançado em 2002 pela Riverhead Books, com vários escritos e
rascunhos do músico.

Confira abaixo. A lista inclui clássicos do punk como “Neverr mind the bollocks” (Sex Pistols), “Raw power” (Iggy Pop & The Stooges) e “Combat rock” (Clash), além de nomões do grunge (Mudhoney, com o disco “Superfuzz bigmuff”), do pós-punk (Public Image Ltd,
com “Flowers of romance”), o rock clássico de “Rocks”, do Aerosmith. E David Bowie, com “The man who sold the world”. E até o rap do Public Enemy, com “It takes a nation of millions to hold us back”.

Duas estranhices bacanas são a banda feminina sessentista The Shaggs com “Philosophy of the world” e Young Marble Giants, com “Colossal youth” (disco que Renato Russo, por sinal, também adorava, a ponto de incluir um “lá vem os jovens gigantes de mármore” na
música “L’age d’or”, do “Legião Urbana V”, de 1991).

 

Se você não entendeu nada da letra de Kurt, não esquente a cabeça: a lista inteira está aqui. Com direito a comentários de vários fãs do Nirvana reclamando da falta de um ou outro álbum e dando uma contestada séria na veracidade da lista. Alguns até com argumentos
bastante pertinentes (muito embora o escrito dê a entender que se trata de um compilado de discos preferidos da banda).