David Bowie teve um número bacana de guitarristas e alguns deles (caso de Adrian Belew e Robert Fripp) tornaram-se seus parceiros. Mick Ronson, que esteve com ele de 1970 e 1974, não cuidou apenas das seis cordas. Chutou, cabeceou, agarrou, chutou e fez de tudo enquanto fez parte dos Spiders From Mars. Escreveu arranjos, dirigiu a banda, tocou piano e inspirou milhares de guitarristas ao redor do mundo com solos como os de “Life on mars?“. Até mesmo os maiores amigos e fãs de Bowie concordam que ele mereceria ter ganhado o crédito de co-autor em várias canções – o produtor Tony Visconti disse que todo mundo que tocou no disco “The man who sold the world” (1971) merecia crédito de autor, por exemplo, e nesse álbum Ronson dá seu toque de mestre em músicas como o proto-metal “She shook me cold“.

O trabalho de Ronson não se resumiu a Bowie, já que ele trabalhou com Morrissey, Bob Dylan, Lou Reed e até com Gilberto Gil (quando o baiano se exilou em Londres e gravou por lá). Ele também gravou solo: seu primeiro álbum individual, “Slaughter on tenth avenue” (1974) saiu na rebarba do sucesso de Bowie e galgou o nono posto das paradas. Também trabalhou bastante com o amigo Ian Hunter, da banda Mott The Hoople – recomendamos em especial um disco feito em dupla “Yui orta“, de 1990.

A novidade é que alguém jogou “Beside Bowie: The story of Mick Ronson”, documentário sobre o guitarrista, no Vimeo. Dirigido por Jon Brewer, o filme tem entrevistas com Angie Bowie, Lou Reed, Tony Visconti, Glen Matock, Roger Taylor (Queen) e vários outros nomes, além de algumas falas do próprio Bowie.

Veja logo antes que tirem do ar.

Via Dangerous Minds.