Wonderful, wonderful, quinto disco dos Killers (que, você sabe, estão vindo aí para o Lollapalooza 2018), pode ter tido uma elaboração meio bizarra, com o baixista Mark Stoermer caindo fora da turnê que o antecedeu, o guitarrista Dave Keuning resolvendo não participar das fotos de divulgação e a banda admitindo que precisou fazer até mesmo terapia em conjunto. Mesmo com as condições adversas, o sucesso veio rapidinho: o New Musical Express o considerou o melhor disco da banda desde o segundo, Sam’s town, de 2006. E a banda conseguiu chegar ao topo das paradas americanas pela primeira vez com o álbum lançado em 22 de setembro. O disco chegou a desbancar nada menos que Concrete and gold, dos Foo Fighters, vendendo 118 mil cópias em sua primeira semana de lançamento nos EUA.

O disco novo ainda traz um novidade que ninguém imaginaria, que é a participação de ninguém menos que Mark Knopfler, do Dire Straits, na guitarra em Have all the songs been written, a última faixa do álbum. Mark havia revelado a participação em maio por intermédio de seu site, e deixou vários fãs (dele e dos Killers) surpresos – o guitarrista e a banda sempre se admiraram mutuamente. A canção por sinal, teve título sugerido por Biono Vox (U2) e veio de um bloqueio criativo do vocalista Brandon Flowers, quando ele não conseguia escrever música nenhuma.

Se você não ouviu, tá aí.

Foto: Danny Wilson (Wikimedia Commons)