Deve haver poucas coisas mais fora de sintonia do que a banda de britpop Pulp e o espião James Bond. Mas, sim, o Pulp chegou a, er, encontrar-se com o 007. Ou melhor: chegou a fazer um tema para o filme 007 – 0 amanhã nunca morre, segunda produção da franquia a ser estrelada por Pierce Brosnan, em 1997. Tomorrow never lies, no entanto, acabou sendo recusada pela produção do filme, que preferiu um tema composto por Sheryl Crow.

Na verdade, rolaram umas mudanças entre a música do Blur e a escolha do título. Inspirado na canção Tomorrow never knows, dos Beatles, o filme se chamaria Tomorrow never lies (O amanhã nunca mente, na tradução, mas se tratava de uma referência ao jornal Tomorrow). Rolou um mal-entendido qualquer, e a MGM recebeu uma correspondência chamando o filme de Tomorrow never dies. Só que a cúpula da produtora preferiu o título com erro e acabou batizando o filme dessa forma mesmo.

Jarvis Cocker acusou o golpe quando foi entrevistado para um site de fãs do Pulp, e disse que ficou bastante chateado com a recusa da produtora do filme.

“Foi estranho. Eles criaram uma espécie de situação do American Idol: pediram a cerca de nove artistas diferentes para criar uma música de James Bond. Eles ouviram nove tentativas diferentes de trabalhar ‘o amanhã nunca morre’ em uma letra. Fomos informados na quarta-feira que o prazo era sexta-feira. Consequentemente, fiquei realmente chateado quando eles escolheram a Sheryl Crow”, afirmou.

Caso você não tenha sido um dos espectadores do filme de Bond, tá aí a música da Sheryl.

Por outro lado, alguém fez o favor de recriar o créditos de abertura do filme com a música do Pulp.

E por outro lado, Tomorrow never lies acabou sendo uma música bastante conhecida dos fãs do Pulp, já que apareceu no lado B de um single conhecido, o de Help the aged, em 1997. Anos depois, saiu até numa versão expandida em CD do disco This is hardcore, lançado originalmente naquele mesmo ano.