Malcolm Young, guitarrista-base do AC/DC, morreu aos 64 anos. Em 2014, após 40 anos na banda que ajudou a fundar, ele havia deixado a banda para se tratar de problemas ligados à demência. A banda australiana divulgou neste sábado (18) um comunicado avisando sobre a morte do músico.

“(…) Malcolm Young vinha sofrendo de demência por alguns anos e morreu pacificamente ao lado de sua família. (…) Ele foi um compositor, guitarrista, performer, produtor e visionário que inspirou muitos. Ele sabia o que queria alcançar e ao lado do seu irmão mais novo, deu tudo de si a cada show. Não fariam por menos, para agradar seus fãs.
Malcolm deixa sua mulher O’Linda, seus filhos Cara e Ross, seu genro Josh, três netos, uma irmã e um irmão (…) A família pede que em vez de mandarem flores, que enviem doações do Exército da Salvação”.

No dia 22 de outubro, já havia morrido George Young, irmão mais velho de Malcolm e Angus, aos 70. Escocês naturalizado australiano, ele começou a carreira tocando guitarra nos Easybeats. E depois ajudou Malcolm e Angus a montar o AC/DC. Ele também produziu e tocou baixo em vários álbuns do grupo.

“Como irmão, não podia ser melhor. Por tudo o que fez e nos deu ao longo da sua vida, iremos sempre recordá-lo com gratidão. E guardar a sua memória nos nossos corações”, escreveu a banda nas redes sociais na época.

O AC/DC está fora dos palcos desde o dia 20 de setembro de 2016. Nesse dia, tocaram no Wells Fargo Center, na Filadélfia. Quem estava nos vocais era Axl Rose, do Guns N Roses, já que o vocalista Brian Johnson estava afastado do grupo.