Espécie de museu virtual de fraudes e mentiras-que-viram-verdades da internet, o portal Hoaxes dedicou um texto ao disco “Starman”, de uma banda soul dos anos 1970 chamada Milky Edwards & The Chamberlings, em 2013. Na verdade muita gente caiu no conto na época, quando a história virou viral. O disco teve três músicas “upadas” para o YouTube no começo da década. Eram versões soul bem convincentes de três clássicos de David Bowie: “Soul love”, “Starman” e “Moonage daydream”. E na época o que se falava é que se tratava de um álbum raro e dificílimo de achar. Que trazia músicos de soul relendo o repertório do camaleão, feito nos anos 1970, e que permanecia obscuro.

O som, uma bela mescla de soul e gospel com cara de Motown, decididamente NÃO parecia ser feito por amadores. E rolaram até especulações de que o cantor era Tom Jones – não era, já que o próprio negou.

Por incrível que pareça, quem matou a charada não foi um músico, mas um designer. Brian Borrows reparou que a fonte da capa era a mesma (Mojo Standard) que ele havia usado numa capa que fizera em 2002, a de “What it is y’all”, de Senor Soul.

“Eles até puxaram tudo para cima, que nem eu fiz. Isso só pode ter saído de um trabalho feito em computador. Nos anos 1970, tudo foi feito à mão. Meu instinto diz que essa capa foi criada num Mac”, disse ao The Guardian sobre a capa do disco de Milky Edwards.

Mentira de luxo: Milky Edwards & The Chamberlings

No comecinho da história, olha que tinha muita gente caindo e até contribuindo com mais historinhas para aumentar o culto. Olha só esse comentário de YouTube. Que enfim, parece fazer uma salada maluca de Bowie e soul music com a banda pré-heavy metal Coven, assinada com a Mercury em 1969, e que falava basicamente de satanismo.

Mentira de luxo: Milky Edwards & The Chamberlings
(O grupo teria assinado com a Mercury por pouco tempo, o vocalista se envolveu com satanismo e se matou antes do sucesso, e o selo tirou a banda de catálogo)

O The Guardian reparou também nas semelhanças entre a capa de “Starman” e a de “Reflections”, disco de Diana Ross & The Supremes de 1968.

Mentira de luxo: Milky Edwards & The Chamberlings

E, olha que interessante, a historinha bateu até na equipe de David Bowie, que publicou em 2013 um texto bem simpático sobre o disco, já avisando que se tratava de um hoax, e dizendo que mesmo assim valia a pena ouvir o material. “Estamos esperando por ‘Rock and roll suicide’ com pegada de Detroit Emeralds, e “Star’ numa onda Temptations”, escreveram lá. O projeto Milky Edwards tem também um site, extremamente minimalista.