Autor de livros sobre David Bowie, Mick Jagger, Green Day e do indispensável “We got the neutron bomb: an oral history of LA’s punk scene”, o jornalista americano Marc Spitz morreu neste sábado (4), informa o site “Pitchfork”. Spitz, nascido em Queens, Nova York, tinha 47 anos.

Além das biografias que publicou, Spitz tornou-se célebre pelos perfis e reportagens que escreveu para a “Spin”, da qual foi repórter especial. Também foi colaborador do “New York Times”, da “Rolling Stone”, da “Vanity Fair” e de muitas outras publicações. E também foi autor de teatro, com peças como “Shyness is nice”, “Gravity always wins”, “The name of this play is Talking Heads”, “Your face is a mess” e outras.

Spitz é também autor de livros de ficção como “How soon is never?”, em que dois jornalistas musicais lutam para reunir os Smiths. E em 2013 escreveu um livro de memórias, “Memoir”.

A “Spin”, na qual ele trabalhou por uma década, informou sobre a morte de Spitz e relembrou algumas das reportagens que ele fez para a publicação.