Por mais que João Gordo se esforce, sua passagem pelo Gordo a Go-Go, da MTV, vai ser sempre lembrada pelo debate caloroso que teve com o ator Dado Dolabella (ok, pela discussão entre ele, o palhaço Bozo e Sergio Mallandro, também, mas num grau bem menor). Isso porque muita gente esqueceu que, em 2000, João Gordo conseguiu reunir no mesmo bate-papo a banda gospel Oficina G3 e a banda de death metal gaúcha Krisiun, para uma conversa sobre rock e religião.

Em 2000, o Oficina G3 era uma banda bastante promissora, dava shows em lugares MUITO lotados (o cantor do Ratos de Porão fica espantado ao ver um vídeo dos caras tocando para 110 mil pessoas no Maracanã) e estava na turnê de lançamento do disco O tempo, ainda com PG nos vocais, que chegou a ter clipes incluídos na programação do canal Multishow. O baterista Walter Lopes diz que “a gente ganha grana mas ela é consequência do trabalho. A gente nunca entrou na parada por causa disso. Tem muito artista que entra nessa para ganhar dinheiro e a gente teve uma experiência com Deus”. PG, que logo depois sairia da banda, lembra que sua experiência com Deus veio depois de vários problemas com drogas que teve desde a infância. “Com dez anos experimentei a maconha, com 11 cocaína, com 14 tive três comas alcoólicos, aí tive uma overdose… Comecei a fumar cigarro com dez anos. Já rasguei Bíblia, coloquei fogo na Bíblia…”.

O Krisiun, por sua vez, estava lançando o terceiro disco, Conquerors of Armageddon, e, segundo o vocalista Alex Camargo, “foi meio pego de surpresa pro debate”. Para quem curte coisas do começo da era da internet no Brasil, vale citar que ao final do programa, aparece o endereço do site do Krisiun: krisiun.cjb.net 🙂