Olha aí o que é que Jennifer Connely andava fazendo em 1986, além de colher os louros da fama por causa de sua aparição no filme Labirinto, ao lado de David Bowie. Naquele ano ela gravou um jingle no Japão que fez tanto sucesso, que virou compacto e chegou ao número um nas paradas de sucesso.

Olha o compactinho aí.

Interessante é que parece que Jennifer não fazia a menor ideia da fama que conquistou na terra do Sol Nascente quando tinha apenas 16 anos. Ou pelo menos não fazia muita questão de se recordar. Em fevereiro, durante uma entrevista ao Graham Norton Show na BBC America, ela ficou surpresa ao ser avisada pelo apresentador de que “havia chegado no topo das paradas do Japão em 1986”.

Primeiro, ela negou que isso tivesse acontecido. Depois, papo vai, papo vem, ela admitiu que havia feito um anúncio no Japão para a Panasonic quando ela era mais nova, e que tinha que cantar a letra em japonês. Também disse que não tinha a menor pretensão de virar cantora e que todo mundo de sua família era envolvido com música, menos ela.

Jennifer errou por um tantinho. O o tal jingle que ela cantou (você viu acima) foi feito para a empresa Technics. Olha aí a ida dela ao programa de Graham (ela garante que nunca havia escutado o anúncio e parece verdadeiramente surpresa).

A tal música na qual Jennifer solta a voz se chama Ai no monologue – algo como “monólogo do amor”. Olha a letra em japonês aí. Vamos cantar junto?

“Utsukushiku kikoeru nowa / Aishite iru kara / Itsu datte yuuki o watashi ni / Ataete kureta/ Yasashii watashi ni / Naruto ga wakaru / Ichiban sunao ni / Hoho emi kaketai
Sukina dake / Sukina koto o / Mitsumete itai”

Não está com o japonês em dia? Olha a tradução em português.

“A razão pela qual eu posso ouvir lindamente é porque eu amo você/Você sempre me deu coragem/Eu sei que vou me tornar carinhoso/Eu quero te dar o sorriso mais honesto/O que você quiser e quanto quiser, eu quero estar lá te observando”

No fim do reclame, a atriz aparecia usando um headset daqueles de telemarketing. O tal sistema de som da Technics propagandeado pelo comercial permitia ao usuário ouvir música e atender chamadas telefônicas pelo próprio aparelho (!), daí a insistência em mensagens de amor.

Via Soranews24