Flo Morrissey e Matthew E White são aquilo que talvez você entenda como uma dupla hipster. Os dois lançam o disco de covers “Gentlewoman, ruby man” junto com um pequeno documentário de YouTube mostrando as gravações do disco – feitas no estúdio Spacebomb, na pequena Richmond, Virginia, do qual White é um dos sócios. Olha o doc aí (tem legendas em inglês).

O local já foi definido pela revista “Uncut” como um lugar “construído sob um conceito clássico, que é ao mesmo tempo ambicioso criativamente e bastante pé-no-chão em termos econômicos”. O clima era tão informal que uma das principais lembranças de White, em papo com o “The Guardian”, era a de que “fazíamos churrasco todas as noites, o que era bem legal”.

A seleção de covers do disco traz clássicos como “Sunday morning” (Velvet Underground), “Suzanne” (Leonard Cohen) e versões pitorescas de nomes mais recentes, como “Thinking bout you” (Frank Ocean) e “The colour is anything”, de James Blake. E nada menos que o tema do filme “Grease”, escrito por Barry Gibb, o único integrante dos Bee Gees que ainda está vivo. Olha a releitura dos dois aí.

“‘Grease’ não é uma das coisas com as quais eu fui crescendo junto”, lembra Matthew, de 35 anos ao “The Guardian”. “Não é algo que meus irmãos amem, que meus pais gostem. Tive um certo gap na vida porque cresci fora do país”, diz ele, filho de missionários, que chegou a morar um tempo nas Filipinas quando bem jovem. Flo, bem mais nova (nasceu em 1994), diz na mesma entrevista nem entender como alguém consegue nunca ter visto o filme (“Nos tempos da brilhantina” aqui no Brasil, você sabe) três vezes por ano. “É um daqueles filmes que passam quando as pessoas estão de férias da escola”.

A escolha de gravar a música, no entanto, foi de White. “Adoro essas músicas que são maiores que a vida, maiores que a própria música, mas é a questão musical que faz com que ela funcione desse jeito. É uma jornada legal para uma canção, quando ela é uma puta música mas se tornou quase uma paródia dela própria. Muita gente diz que é uma música brega da disco, mas é muito mais que isso”, diz ao jornal inglês, completando depois: “Os Bee Gees – Barry Gibb em particular – não são prestigiados como deveriam”.

Aliás, tá aí o tema de “Grease”, que era cantado por Frankie Valli no filme.

E vai que você quer recordar mais do filme… Pega aí o clipe de “Summer nights (Tell me more)”