Você já deve ter ouvido (Don’t fear) The reaper, clássico da banda de hard rock norte-americana Blue Öyster Cult. Se nunca ouviu, pega aí.

Lançada em 1976, essa música foi um sucesso tão avassalador na carreira do Blue Öyster Cult que, vários anos depois, em 2000, a turma do Saturday night live fez um de seus esquetes mais legendários zoando o uso indiscriminado do cowbell durante a canção. É aquela peça de percussão que marca o ritmo na música toda. Por causa disso, a expressão “more cowbell!” virou piada durante vários anos.

O vídeo do “more cowbell” tá aqui, até tirarem do ar.

No vídeo acima, Christopher Walken interpreta o hipotético produtor do BÖC, Bruce Dickinson – que não tem nada a ver com o cantor do Iron Maiden e é o nome de um produtor de verdade dos anos 1970. À revelia do grupo, Dickinson pede ao percussionista Gene Frenkle (Will Ferrell) que toque mais alto e “explore o estúdio” – o que dá a deixa para Ferrell dançar descontroladamente pela sala tocando a peça de percussão.

Era tudo zoação, mas não estava tão longe da verdade. O produtor do Blue Öyster Cult na época não era Bruce, e sim David Lucas. Foi ele quem fez a banda desistir da ideia inicial, que era colocar um triângulo como percussão na música, e insistiu para que o cowbell ficasse audível. Lucas produziu o single ao lado de Murray Krugman e Sandy Pearlman, e há até hoje controvérsia sobre quem tocou o instrumento: ele diz que foi ele mesmo, o baixista Joe Bouchard diz que Lucas pediu a seu irmão, o baterista Albert Bouchard, que tocasse…

Olha aí Albert Bouchard dando sua versão da história.

O esquete foi produzido para um doc da série Behind the music sobre a banda. Ferrell já havia roteirizado a história havia bastante tempo. Até que fosse ao ar, a ideia foi cantada nas reuniões da equipe umas sete vezes, e aperfeiçoada. Deu certo a ponto de voltar a rolar interesse pelo Blue Öyster Cult, que andava meio sumido, embora estivesse excursionando.

Olha aí a banda tocando seu hit no ano passado. Sim, eles existem até hoje. Não tem cowbell, mas o vocalista Eric Bloom faz uma referência visual ao instrumento logo na abertura.

E todo esse intróito é só pra dizer que um sujeito com muito tempo livre fez uma versão digital de (Don’t fear) The reaper só com… samples de cowbell. Pega aí.