Em setembro, o POP FANTASMA relembrou os bons (bons?) tempos de uma das bandas mais misteriosas de Niterói, o Stemphylium. A banda de punk/hardcore, que passou alguns anos utilizando o nome escrito com grafia errada – e só descobriu a mancada quando todos os integrantes passaram a ter acesso à internet – era comandada por um colaborador do POP FANTASMA, Luciano Cirne.

O grupo fez alguns shows em Niterói entre 1996 e 1998, e voltou em 2002 com outra formação, que durou dois anos e fez um ou dois shows, se tanto. Em 2010, na terceira fase da banda, gravaram um EP de distribuição sigilosa num estúdio caseiro (com clássicos como Raiva, irritação e nervosismo e Ode ao vale-refeição). Na época das gravações, a formação incluía Luciano (baixo, voz), Oliver (guitarra e dono do equipamento onde as canções foram gravadas) e Paulo CP (bateria).

STEMPHYLIUM DE VOLTA

A novidade é que, por causa da matéria que Luciano escreveu sobre sua banda, algumas coisas mudaram na história da banda. Para começar, a última formação se reuniu e o grupo voltou a existir.

Bom, é uma “volta” que está acontecendo gradativamente. O grupo decidiu gravar duas músicas, Ele tá tliste e Colhendo os ovos. Esta última já está no Soundcloud do grupo, mas não está finalizada.

Luciano, CP e Oliver têm se falado bastante por WhatsApp mas ainda nem chegaram a tirar fotos de divulgação. O retorno aconteceu porque, após a matéria sobre a banda, Luciano decidiu fazer o registro das músicas e ligou para os ex-colegas de banda (com quem não tinha contato havia um tempo) para colocar os nomes de todos. Após alguns dias de conversas, todos decidiram voltar. Mas tem uma pandemia impedindo maiores voos.

“Por causa disso, a gente não tá conseguindo se encontrar para botar a mão na massa. Ela tá tliste ainda está num estágio embrionário. Estamos nos reunindo no WhatsApp, um vai lançando uma ideia para o outro e a coisa vai tomando forma”, conta Luciano.

FALCÃO

Um dia, Luciano estava dando uma olhadinha no canal do humorista e cantor cearense Falcão. Então, viu que o autor de Holiday foi muito estava fazendo uma série chamada Na rede com Falcão, que consiste de resenhas “falconéticas” do que rola na internet. Decidiu mandar o clipe de Raiva, irritação e nervosismo para o humorista, sem nem esperar que Falcão selecionasse a canção para comentar. Para sua surpresa, em poucos dias, o humorista estava comentando a música em seu canal.

“A gente mandou na cara dura, mas eu achava que tinha tudo a ver com o espírito do canal dele. Deve ter demorado uma semana para ele postar o vídeo com a música. Aparentemente ele curtiu, né?”, brinca. “E o mais legal é que os fãs estão deixando recados no YouTube pedindo para ele regravar a música. Já pensou se isso acontece? Teve um ou outro hater postando lá, mas respondi tudo em tom de brincadeira”.

O single do Stemphylium ainda deve demorar um pouco para sair. Mas a banda adianta que teve uma ideia após ler uma matéria antiga do POP FANTASMA sobre artistas que lançam músicas em disquete: vão lançar o single no formato. “Em primeiro lugar, porque é barato, e em segundo lugar porque é diferente. Uma parte dos discos, a gente pretende mandar para sites. Não sei se os jornalistas vão ter onde ouvir! Mas a outra parte a gente sorteia”, diz Luciano.