Não era só Chuck Berry, morto nesse fim de semana aos 90, que tocava rock e tinha mais de 80 anos. Veja abaixo mais dez nomes – alguns deles eram até quase quarentões quando começaram a fazer sucesso.

JOHN MAYALL (83 anos): O multiinstrumentista de blues (canta, toca guitarra, teclados, gaita e até bateria), fundador da célebre banda John Mayall & The Bluesbreakers está com uma agenda de shows bastante recheada. Vários deles estão sold out (confira aqui). Já lançou disco novo em 2017, “Talk about that”. E tem uma “árvore genealógica musical” bem interessante no Spotify, com suas músicas e artistas preferidos.

YOKO ONO (84 anos): No sábado (18) lembramos de uma apresentação de John Lennon e Yoko Ono com Chuck Berry na televisão em 1972. E você sabia que a diferença de idade de Yoko e do já saudoso Chuck é de apenas seis anos? Yoko continua por aí, gravando discos e fazendo coisas, e postando nas redes sociais.

MoMA, 1960. I'm still this young woman today #internationalwomensday

A post shared by Yoko Ono (@yokoonoofficial) on

QUINCY JONES (84 anos): Qualquer novo multi-homem da música (compositor, músico, produtor, empresário) deve ter suas qualificações medidas a partir de um padrão – e esse padrão se chama Quincy Jones. Ele continua produzindo e trocando ideias com novos artistas. Olha ele aí num bate-papo com Kendrick Lamar.

LITTLE RICHARD (84 anos): Outro grande pioneiro do rock. Não deve ter sido moleza para Little Richard se despedir de Chuck Berry nas redes sociais – bom, pelo menos a equipe de social media dele fez isso, num post do Facebook. Richard andou ganhando especulações a respeito de sua saúde (respondeu com um comunicado afirmando que “minha família não está reunida em torno de mim no leito de morte e eu continuo me apresentando, só não canto como já cantei um dia”) e, em 2016, pôs todas as suas gravações feitas entre 1957 e 1965 na caixa “Little Richard – Mono Box: The complete Specialty and Vee-Jay Albums”.

R.I.P. to the legendary Chuck Berryhttp://www.udiscovermusic.com/news/chuck-berry-rock-n-roll-legend-r-i-p

Publicado por Little Richard em Sábado, 18 de março de 2017

JERRY LEE LEWIS (81 anos): Se você estiver na Califórnia em abril, vai aí o aviso de que tem show do “killer” dia 28 do mês que vem, em Indio, no Stagecoach – California Country Music Festival. Quer ter uma ideia do que vai encontrar por lá? Um sujeito gravou na integra uma apresentação de Jerry em fevereiro de 2016 no Mississippi. O único problema é que o cara estava num local em que só dava para filmar o pianista de costas, mas o público parecia estar adorando. Olha aí.

PAT BOONE (82 anos): O “bom rapaz” da música pop americana tem se tornado mais um palestrante conservador e cristão do que um artista. Recentemente reclamou que o ex-presidente americano Barack Obama nunca celebrou nenhum feriado cristão na Casa Branca, declarou apoio a Donald Trump e comemorou dizendo que a eleição do sujeito era “um tapa na cara de Hollywood”.

TONY CAMPELLO (81 anos): O irmão da cantora Celly Campello hoje é mais conhecido como produtor (costuma cuidar das gravações de Sérgio Reis), mas vendeu muito disco nos anos 1950, na pré-Jovem Guarda. “Boogie do bebê” estourou de novo nos anos 1970 por causa da trilha da novela “Estúpido cupido”.

CARLOS GONZAGA (92 anos): Mineiro de Paraisópolis, tinha pra lá de 35 anos quando estourou com a versão em português de “Diana”, de Paul Anka. Hoje, mais velho que Chuck Berry, é ancião da igreja Testemunhas de Jeová.

SERGUEI (83 anos): Apesar dos problemas de saúde (foi internado ano passado com problemas bronco-respiratórios), Serguei ainda faz shows e já declarou que um de seus sonhos é levar sua história para o cinema. Olha ele aí numa apresentação no ano passado (na festa Roll, no Saloon 79, no Rio de Janeiro).

BILL WYMAN (80 anos): Tem quem nem lembre disso, mas o baixista dos Rolling Stones entre 1962 e 1993 era cerca de seis anos mais velho que todo mundo da banda. No primeiro ano dos Stones já era casado e tinha um filho pequeno. Manteve-se afastado da aura autodestrutiva da banda na década de 1970 e sempre disse que seu maior vício no período em que esteve no grupo era pegar as fãs. Em 2015 lançou seu quinto disco solo, “Back to basics”. Hoje, recupera-se de um câncer na próstata, do qual se tratou em 2016.

QUASE LÁ: Ian Hunter (77 anos), Trini Lopez (79), Jet Black (baterista da banda punk The Stranglers, 78 anos)

(agradecemos a Marcelo Froes pela lembrança do Carlos Gonzaga e do Tony Campello).