O Guns N Roses, você sabe, tá vindo aí. Tem show marcado no Rock In Rio. Mas se o grupo liderado por Axl Rose não conseguisse vir ao festival, não tem problema: era só chamar a turma da banda Mr. Brownstone, um cover norte-americano da fase áurea do Guns que na década passada ganhou grana tocando o repertório do grupo em vários palcos por aí afora – e que conseguiu uma chance de ouro em 19 de novembro de 2008, ao apresentar-se no Late Show, então apresentado por David Letterman.

Isso aconteceu quase vinte anos após o U2 Cover, aqui no Brasil, conseguir cobrar um cachê maior até que o de bandas estouradas do rock brasileiro. E, pelo menos na época, se você perguntasse pro guitarrista Dave Godowsky (que “interpreta” o Izzy Stradlin na banda), as respostas seriam meio, er, estranhas, já que ele admite que podem ter sido “a pior banda a aparecer no programa”. Olha aí ele falando da história pro site The Gothamist.

“Lembro que eu estava tomando uma dose de uísque enquanto era escoltado para tocar no palco do The Late Show com David Letterman, e um fio de cabelo da minha peruca estava preso na minha boca. Ter um cabelo preso em sua boca é bruto e irritante, mas a combinação de A) peruca e B) uma audiência iminente de milhões, pode exacerbar isso. Liguei minha guitarra, mas nenhum som saía do amplificador, a equipe de produção estava lutando. Olhei para cima desesperadamente e vi Paul Shaffer (líder da banda do programa) apenas olhando para mim, confuso. Vendo agora, percebo que sua confusão foi provavelmente menos causada pela minha incapacidade em ligar um amplificador, e foi mais a respeito da indagação: por que diabos uma banda cover de Guns n’ Roses estava tocando naquele palco?

Alguém notou que o meu amp estava no modo “standby”, apertaram o botão e tudo ficou certo com o mundo. Eu olhei para a banda, todos nós trocamos olhares. Não foi como rolou com Paul Shaffer, foi uma troca de olhares mais vertiginosa e mais bêbada. Então David Letterman nos apresentou, e fomos censurados por dizermos palavrões cinco segundos após o show.

Agora, por que colocar uma banda cover no David Letterman? Boa pergunta. Eu acho que é razoável dizer que a melhor banda cover acumula menos credibilidade artística do que a pior banda original. Nesse sentido, fomos sem dúvida a pior banda de todos os tempos a estar no palco do Letterman. Das cinco bandas cover a conseguirem isso, fomos sem dúvida a que menos impressionou. Se você consegue ser ruim nisso, você pode ir em frente ser o pior.

Então nós decidimos que a melhor maneira de ter uma banda cover do Guns N’ Roses é: usar fantasias estúpidas, não ensaiar, e sempre estar bêbado. Funcionou de alguma forma, já que conseguimos lotar lugares para mil pessoas e estivemos no Bonnaroo e no David Letterman. Isso é injusto com as bandas que trabalham duro e fazem música autoral? Sim. Isso promove uma quebra de valores e perpetua um clima negativo numa indústria que já está caindo de podre? Sim. Mas eu me arrependo de alguma coisa? Bom, sim, de certa forma. Até esqueci do que queria com isso.

De todo jeito, a turma do Late Show sumiu com este episódio e o vídeo foi tirado do YouTube da CBS.com. Agora, dou alguns fatos engraçados para os poucos de vocês que leem isso.

  • A convidada daquela noite, Katie Couric (jornalista e apresentadora norte-americana), recusou nosso convite para sair com a gente.

  • Chris Elliott, que também estava no programa naquela noite, recusou o nosso convite para tocar cowbell.

  • Colocamos microfones para todos nós e fingimos cantar. Daí fomos pagos duas vezes (você é pago pelo sindicato dos músicos e pelo dos cantores). Saímos de lá com US$ 700 no total, se você quer saber.

  • Levamos um roadie com a gente, que estava encarregado de servir uísque e dar um trato nas perucas.

  • Meus pais ainda têm essa nossa performance gravada em sua casa no Maine, mas recusam-se a falar disso”

A CBS pode ter tirado o vídeo do ar, mas quem disse que o mundo ficou privado de assistir ao Mr. Brownstone no palco do Late Show? Com vocês, a banda tocando Welcome to the jungle.

Epa. Falando nisso, olha o U2 Cover no Jô Soares Onze e Meia em 1992. Aqui também teve.