Tem quem não tenha idade pra lembrar, mas vamos lá: nos anos 1970, quem não amava loucamente punk, estava de saco cheio de rock progressivo e do rock cocota das FMs (e não estava nem aí pra heavy metal e hard rock) caía dentro da new wave e do pós-punk. E muita gente, numa trilha que foi desembocar na chegada do rótulo “world music”, mergulhava via pós-punk no reggae e nos sons africanos. Quem escutar o som da Ibibio Sound Machine vai matar as saudades dessa época, com sua mistura de eletrônicos, psicodelia, gospel, uma ou outra coisa de folk e high life (estilo musical africano).

Radicado na Inglaterra, o Ibibio tá lançando em março o terceiro disco, “Uyai”, e é uma banda de oito integrantes. Na frente, e na capa dos discos, tem a cantora Eno Williams, londrina que cresceu na Nigéria (na região de Ibibio, daí o nome do grupo). Entre os músicos, tem um brasileiro, o percussionista Anselmo Netto. E um guitarrista de Gana, Alfred Bannerman. “Give me a reason” é um dos sons que você precisa ouvir para voltar a acreditar na música em 2017. Pega aí e aumenta o volume.