"A Grande Família", Marco Nanini, Yes e maconha - no horário nobre

A onda do space cake (bolos feitos de maconha) chegou ao horário nobre da Rede Globo em 27 de junho de 2002 quando foi ao ar o episódio “Um tapinha não dói”, de “A Grande Família“. Na trama, alguns amigos de Tuco (Lucio Mauro Filho) resolvem assar biscoitos feitos da erva na cozinha da Dona Nenê (Marieta Severo) e Lineu (Marco Nanini). E por ter sido flagrado com um baseado (que não era dele), Tuco acaba ganhando fama de maconheiro no seio familiar.

Mas quem acaba comendo toda a produção da turma é mesmo Lineu durante uma conversa em família. O resultado é o patriarca da Grande Família ouvindo “Roundabout”, clássico do Yes, em altíssimo volume, pulando pela casa segurando a capa do disco “Fragile”, da banda (que tem essa faixa), e chamando a atenção para “a pulsação do baixo” de Chris Squire (1948-2015), criador do Yes.

Alguém isolou esse trecho do programa e jogou no YouTube. O bizarro da situação fica por conta de Marco Nanini, intepretando um sujeito que devia estar lá pelos 50 anos, dizendo que escuta essa música “desde criança” (se ele tinha uns 50 anos em 2002, tinha 19 quando “Fragile”, disco do Yes que tem essa música, chegou às lojas em 1971).

O excesso de biscoitos adulterados no estômago de Lineu dá em risadas, larica exageradíssima e uma lata de leite condensado detonada. Quem assistiu o programa, sendo ou não a favor da liberação de qualquer tipo de substância, ganhou uma boa (e engraçada) discussão a respeito de drogas em um horário bastante popular da televisão, já que lá pelas tantas começa o maior papo entre alguns dos personagens sobre drogas como bebida, calmantes e cigarro normal, e a questão política das drogas vira subtexto do programa até o final.