Estamos em 2020 e sobrevivemos ao apocalipse. Pros mais novinhos: em 1999, correu uma lenda urbana mundo afora chamada “bug do milênio”. Era um papo que dizia que os computadores não conseguiriam processar corretamente o dia 1º/1/2000 e dariam pau – inclusive computadores importantes, que fazem serviços como luz e água funcionar nas cidades. Isso causaria uma espécie de apocalipse zumbi e a humanidade morreria aos poucos.

Não rolou.

Alguns computadores pessoais deram problema, mas nenhum infortúnio grave foi relatado. E vendo por essa playlist, os artistas, aparentemente, falaram: “Pois é, não rolou… vamos lançar todos os discos que estavam guardados”. O ano 2000 foi especial no número e na qualidade dos lançamentos.

Nesse momento da história, o digital já era uma realidade. A internet já era reconhecidamente um caminho para vender e divulgar música, os estúdios já eram acessíveis e os artistas independentes conviviam com o mainstream com um potencial nível de igualdade.

No Brasil, temos dois fenômenos importantes. O primeiro é o do forró, que ganhava espaço na mídia com o sobrenome “universitário”. Representados aqui por Falamansa e Rastapé, o forró universitário fez com que o forró pé-de-serra se tornasse mainstream de novo, pós-Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, fosse presença constante nos veículos e lotasse festas e shows Brasil afora.

Outro fenômeno foi o da gravadora Trama, que, sozinha, movimentou uma cena. Em 2000, tivemos a estreia de Luciana Mello (com dois singles que tocam no rádio até hoje) e trabalhos de Pedro Mariano e Jair Oliveira. Até a dupla de repentistas Caju & Castanha aparece no cast da gravadora neste ano.

Ouça 111 músicas que completam 20 anos em 2020 na playlist abaixo: