No fim dos anos 1960, o Pink Floyd ainda era um grupo fragmentado (especialmente após a saída do ex-líder Syd Barrett), pós-psicodélico e vanguardista. Em poucos anos o mercado mudaria a ponto de Atom heart mother (1970), disco gravado com orquestra – e que tinha uma música ocupando todo o lado A – levar a banda ao topo. Mas lá por 1967/1968 isso ainda não estava tão claro.

Tanto que, nesse período, uma frente de trabalho promissora para o Pink Floyd era justamente no cinema experimental europeu. A banda fez uma ponta no documentário psicodélico Tonite! Let’s all make love in London, de Peter Whitehead (1967). Em 1969 realizaram pela primeira vez toda a trilha de um filme – no caso More, de Barbet Schroeder, que acabou rendendo o terceiro álbum do grupo. Entre um e outro, o grupo realizou parte da trilha do filme The Committee (1968), dirigido por Peter Sykes, australiano radicado na Inglaterra.

Alguém jogou esse filme no YouTube. Olha aí.

Geralmente as biografias do Pink Floyd passam batidas por esse filme. Em Inside out: A personal history of Pink Floyd, autobio do bateria Nick Mason, ele lembra que a trilha surgiu após a banda lançar um single fracassado, Point me at the sky, e resolver passar a desdenhar a parada de compactos, focando mais em LPs completos. E conta que a contribuição do Pink Floyd para a trilha foi mais “uma coleção de efeitos sonoros do que música de verdade”. O que de fato dá pra perceber vendo o filme.

The Committee: aquele filme desconhecido com trilha do Pink Floyd

O filme traz o cantor, ator e apresentador da BBC Paul Jones no papel principal. Ele faz um personagem que não tem nome, que decapita um homem logo nos primeiros minutos do filme. Logo depois é chamado para participar de “um comitê” sequelado, que reúne uma porrada de gente numa fazenda. Boa parte dos “efeitos especiais” feitos pelo Pink Floyd aparecem em meio a um diálogo do filme. The committee também tem Fire, de Arthur Brown, na trilha, além de uma ou outro tema. Arthur também aparece no filme.

Mesmo sendo meio esquecido, The commitee virou lenda para os fãs da banda a ponto de ter circulado um disco pirata com as canções do filme. Olha aí uma das edições do álbum, com Arthur Brown na capa. Fire também está nesse disco.

The Committee: aquele filme desconhecido com trilha do Pink Floyd

E pra assistir o filme em DVD ou Blu-Ray, só recorrendo à caixa Pink Floyd: The early years 1965-1972, onde ele saiu. Ou a edições semipiratas e esgotadas.

Olha o EP inteiro do Pink Floyd aqui.