Virou clichê falar em “futuro distópico”. Já “passado distópico”, você encontra aqui. Em 1978, os cineastas Robert Awad e André Leduc dirigiram um curta chamado The Bronswik affair, que contava uma história bizarra ocorrida em vários países em 1964 (olha o ano!). E que envolvia basicamente consumismo desenfreado e hipnose, e tudo por culpa de uma marca de televisão.

O filme é brincadeira levada a sério. As histórias e personagens são todos fictícios e o enredo, mesmo sendo uma crítica, é fantasioso ao extremo. Um fenômeno provocava surtos de consumo nunca vistos, como o da dona de casa que comprara uma tonelada de sabão em pó e quase morria afogada ao usar tudo em sua máquina de lavar. Ou a mulher que nem sequer tinha cachorro, mas comprava latas e mais latas de ração. Ou o cara que não tinha carro, mas do nada, aparecia em casa com 32 pneus, e não sabia explicar o motivo da compra. Confira aí (legendas automáticas – razoáveis – em inglês).