Quadrinho do Th' Lone Groover, escrito por Tony BenyonTh’Lone Groover, uma espécie de anti-herói meio punk meio hippie do rock, fez a alegria de vários leitores da New Musical Express durante os anos 1970 e 1980. Era uma tirinha importante para a publicação a ponto de o personagem aparecer até mesmo no logotipo da revista durante um tempo (como na imagem ao lado).

O autor, um britânico chamado Tony Benyon, criou Lone Groover como um cara de visual country, que usava um cinto de cabeça de cavalo e andava pra lá e pra cá com um amigo chamado Pronto, de visual indígena – como Benyon estava sempre de chapéu, dizia-se que era quase um auto-retrato. Boa parte das aventuras mostravam o personagem simultaneamente brigando para chamar a atenção dos críticos e jornalistas, e tentando livrar-se de ser massacrado por todos eles. Ou simplesmente destroçando sem dó a máquina de lançamentos e o universo pop dos áureos tempos. No quadrinho abaixo, ele procura o melhor lugar para se proteger de uma emboscada de críticos.

Quadrinho do Th' Lone Groover, escrito por Tony Benyon

Esse é o encontro cordial de Th’Lone com um ex-empresário, o demoníaco Sharko, com quem assinara um contrato do tipo até-o-fim-da-vida no começo da carreira (“Th’Lone Ranger, eu pensava que você estivesse morto!”, “Já eu realmente esperava que você tivesse morrido”, responde o roqueiro).

Quadrinho do Th' Lone Groover, escrito por Tony Benyon

As tirinhas e cartuns do Th’Lone Groover (eles estão sendo coletados por um fã nesse blog aqui) muitas vezes serviam para Benyon comentar ou criticar alguns lançamentos dos anos 1970 ou 1980, como Dire Straits ou a controversa carreira solo de Captain Sensible, guitarrista do Damned. Sensible tinha saído da banda punk em 1982 temporariamente para lançar o single Happy talk (releitura de um clássico dos musicais, da dupla Rodgers e Hammerstein) e acabou conseguindo bem mais sucesso do que teve com sua banda de origem – lógico que vários fãs do Damned detestaram isso.

Quadrinho do Th' Lone Groover, escrito por Tony Benyon Quadrinho do Th' Lone Groover, escrito por Tony Benyon

Th’Lone Groover fez tanto sucesso que acabou tendo alguns livros lançados, como How T’ make it a rockstar, que saiu pela ediora da distribuidora de quadrinhos IPC. Virou também disco: em 1980, o selo Charly, especializado em raridades, lançou o EP The Abasement tapes, com músicas como Who cares! e Single of the album, num clima meio Spinal Tap bem antes do próprio Spinal Tap. O material do EP já estava guardado desde o começo dos anos 1970 e trazia Benyon desenhando a capa e compondo algumas coisas (quem cantava e tocava no disco eram nomes como o roqueiro inglês Nicky James). Benyon lançou o disco como um projeto publicado à revelia do personagem – e pelas mãos do ex-empresário, o controverso Sharko.

Quadrinho do Th' Lone Groover, escrito por Tony Benyon

Já Benyon teve outras ligações com a música, fazendo capas de discos – no Discogs, ele é creditado como músico em alguns álbuns. Benyon fez as capas dos dois discos da banda heavy-progressiva britânica May Blitz, May Blitz (1970) e The 2nd of May (1971).

E fez a capa do disco epônimo de estreia da banda progressiva britânica Patto, de 1970.

Aliás, alguém tem notícias de Tony Benyon?

(você encontra vários trabalhos dele aqui).