Nos anos 1980, era comum que a crítica, pelo menos em alguns países, estabelecesse ligações diretas entre o R.E.M. e a psicodelia dos anos 1960. Especialmente The Byrds, por causa das composições e de algumas tramas de guitarras e violões. Muito embora o grupo de Michael Stipe adicionasse doses enormes de ruídos e consistência pós-punk às bases originais.

O livro Perfect circle: The story of R.E.M., do biógrafo Tony Fletcher, acrescenta que na Inglaterra, a banda não escapou de ser comparada com os Smiths por muitos anos. As duas bandas tinham cantores que eram considerados excêntricos e que tinham lá seus distanciamentos do estilo de vida rock´n roll de seus colegas de grupo.

Fletcher também lembra que nos Estados Unidos, se havia alguma confusão a respeito do que o R.E.M. representava, a MTV tratou de deixar claro a que a banda vinha, num dos segmentos de sua série Rock influences. O programa documentava as influências de vários estilos do rock, do punk ao progressivo. Olha aí um dos anúncios da atração.

O iniciante R.E.M., em 1984, acabou convidado para participar do segmento “folk rock” do programa, mostrando algumas de suas verdadeiras influências, com convidados bacanas. Cantaram Do you believe in magic?, do Lovin Spoonful, com um dos integrantes do antigo grupo dos anos 1960, John B. Sebastian, na voz e na cítara. E So you want to be a rock and roll star, dos Byrds, com Roger McGuinn, do grupo sessentista, na guitarra.

A banda também convidou Roger McGuinn para dividirem Gloria, dos Kinks.

Michael Stipe e Bill Berry dando entrevista nos bastidores do show, aparentemente sem muita paciência. Tem legendas em inglês (razoáveis).