Relax: Frankie Goes To Hollywood, Lemmy Kilmister e uma stripper na TV
Assim que o single de Relax, do Frankie Goes to Hollywood, foi lançado, em 1983, a BBC ficou indignadíssima com o conteúdo da letra – que claramente falava sobre sexo e orgias, embora a banda negasse. Em 11 de janeiro de 1983, um DJ da Radio 1, Mike Read, reclamou ao vivo da música. E censurou – literalmente – a canção, dizendo que não a tocaria mais. A capa do compacto, que você viu acima, já dizia tudo.

O clipe original, essa pequena putaria sadomasô aí, foi imediatamente banido.

A banda teve que fazer às pressas outro clipe – e sob o comando da dupla Kevin Godley e Lol Creme, músicos que vinham do 10cc e estavam se tornando os maiores clipeiros dos anos 1980. É a chamada “laser version”, que você vê abaixo. Pouco depois desse clipe, a BBC prestou atenção à letra da canção e vetou a música. Nenhum dos dois vídeos passou lá. Quando a música chegou em primeiro lugar no Top of the pops, exibido pela BBC na TV, a emissora pôs uma foto do grupo no ar, anunciou o vencedor e… cortou para outra canção.

Banidos da BBC (em tese: John Peel, respeitadíssimo na emissora, peitava os caciques e tocava a música de madrugada), restou aos rapazes do Frankie Goes To Hollywood lançar Relax na Alemanha, no Musikladen, espécie de Top of the pops local. Sei lá se a estação decidiu cortar as referências gays da música, ou achou que a saliência da letra merecia um “entendeu ou quer que eu desenhe?”. Mas alguém achou que seria uma excelente ideia botar uma stripper quase pelada para posar no cenário e fazer cenas quentes com o cantor Holly Johnson. Olha aí.

Lá pelos 3:09 aparece um sujeito parecido com Lemmy Kilmister, do Motörhead.

Isso sim é que é rolé aleatório: era o próprio. Quando você acha que nada pode ficar mais maluco, o músico surge no palco tocando guitarra e fazendo passo de pato igual a Chuck Berry. E rouba a stripper da banda. Veja direto abaixo.

Com informações da Reprobate Magazine