O Radio Moscow está entre nós. A banda formada em 2003 no Iowa, Estados Unidos, está em turnê pelo Brasil – após Palmas e Florianópolis, passa por São Paulo, Aldeia Velha e Rio de Janeiro. E divulga o (excelente, por sinal) disco mais recente, New begginings, lançado ano passado. Ora considerados uma banda de heavy metal, ora recebendo o rótulo cool de stoner rock, o certo é que são uma das bandas mais bacanas da atualidade. E já estiveram aqui no Brasil. Olha eles aí num show no Rio há dois anos.

Aproveite e confira sete infos interessantes sobre o grupo.

ANTES ERA UMA DUPLA. Hoje o Radio Moscow é um trio, liderado pelo mesmo Parker Griggs (voz e guitarra) de sempre, e completado por Anthony Meyer (baixo) e Paul Marrone (bateria). No começo, Griggs teve como colega de banda a baixista Serana Andersen, e depois o baixista Luke McDuff. Foi com Luke do lado que o cantor gravou o primeiro disco do Radio Moscow, epônimo, lançado em 2007 – e produzido por Dan Aauerbach, dos Black Keys.

ANTES ERA UM PROJETO SOLO. Quando nem havia Radio Moscow, Griggs tinha um projeto solo chamado Garbage Composal, onde tocava todos os instrumentos. O material desse período apareceu num disco de 2012 do Radio Moscow, Three and three quarters, com material registrado em 2003.

OBSCURIDADES. O baixista Anthony Meier cita como influências bandas pouco conhecidas e bastante cultuadas do hard rock, como Sir Lord Baltimore e Flower Travellin Band. A segunda é uma banda japonesa de heavy metal, liderada por um amigo de John Lennon e Yoko Ono (Yuya Uchida), e que tinha um pé na psicodelia. A primeira era uma banda de som pesado do Brooklyn que até hoje é tida como proto-stoner rock.

COSTURANDO PRA FORA. O outro compromisso da vida de Meier é uma banda chamada Sacri Monti, que até abriu shows do Radio Moscow.

RAM JAM: É uma das bandas com as quais muita gente compara o Radio Moscow. O Ram Jam foi um grupo de hard rock tardio, surgido em Nova York em 1977 no meio da movimentação do punk. No Brasil eles são bem conhecidos por causa dessa música aí.

PSICODELIA PARA SEMPRE: Griggs, num papo com a New Noise Magazine, disse acreditar muito na psicodelia como um estilo musical que nunca vai sair de moda. “É a forma mais excitante do rock, e é atemporal. Somos influenciados por uma era em que a música era abundante e criativa. Eu acho que a psicodelia tem esperado por um retorno por muito tempo. Era um estilo importante e interessante, mas só existiu por alguns anos nos anos 60. Parece um momento perfeito para acender a tocha e continuar”.

DIFÍCIL É O NOME. A banda passou a se chamar Radio Moscow quando Griggs ouviu uma compilação de bandas dos anos 1960 que tem essa música aí embaixo. Era uma paródia das rádios da época, e dos preconceitos que os EUA tinham em relação à União Soviética, chamada Go Go Radio Moscow, e creditada a Nikita The K – referência mordaz ao ex-primeiro-ministro soviético Nikita Khrushchov.