Uns 19 anos antes da ida do homem à lua, um diretor chamado Irving Pichel e um produtor chamado George Pal já faziam um filme sobre o assunto. Destination moon foi uma produção independente de 1950, que já punha na tela as expectativas em relação à corrida para levar um foguete ao satélite natural. Além das dificuldades que vinham da missão. Na época, esse filme deu tão certo que conquistou um Oscar de melhores efeitos especiais.

O lomga mostrava quatro astronautas (Warner Anderson, John Archer, Tom Powers e Dick Wesson) encarando a missão de ir à lua. Uma equipe fazia de tudo para convencer a iniciativa privada a investir na viagem. E quem fazia uma participação especial no filme para tentar convencer um bando de industriais a coçar o bolso e dar uma grana para a missão era ninguém menos que… o Pica-Pau. Confere a participação dele aí embaixo – jogaram o filme todo no YouTube e, clicando aí, você vai logo no desenho animado.

Esse job do personagem aconteceu porque o produtor Pal e o criador do Pica-Pau, Walter Lantz, eram muito amigos. Pal conhecera Lantz após chegar da Hungria, onde nasceu. E resolveu incluir o pássaro numa aparição especial, em desenho animado. No filme dentro do filme, o Pica-Pau é retratado como um sujeito que desacreditava que os EUA ainda iriam levar alguém à lua, e achava toda essa história uma bobagem. Aí surgia uma narração dando umas lições sobre foguetes para o Pica-Pau reaça.

Curiosamente, lembrava aqueles desenhos educativos da Disney em que o Pato Donald era retratado como um personagem perdidão e meio cabeça-dura que tomava lições sobre algum assunto. Tipo nesse filme aí embaixo, que ficou famoso nos anos 1980 quando era exibido pelo SBT e pela Globo toda hora.

Mais: O que você aprendeu sobre geografia vendo desenho do Pica-Pau