Beetlejuice, filme de Tim Burton que no Brasil é mais conhecido como Os fantasmas se divertem, é mais conhecido pelo que “não é” do que pelo que “é”. De fato: é um filme com cenas de terror, mas não é terror. É um filme com cenas engraçadas, mas não é comédia de verdade. Tem lá seus graus de violência gráfica, sem ser um filme violento. Tem uma inocência associada ao cinema infantil – mas ninguém ousaria classificá-lo como filme para crianças. Lida com temas como morte e fantasmas de uma forma fantástica, a ponto de desmistificá-los. E, em especial, levou uma versão mais “cândida” e debochada da subcultura gótica para o mainstream.

Esse vídeo do canal ScreenPrism mostra um pouco dessa herança maluca do filme e do cinema de Tim Burton, justamente no ano em que Os fantasmas se divertem completa 30 anos. Lembra que, no começo, a ideia era que o filme tivesse muito mais violência – algo que desapareceu conforme as filmagens foram avançando. E fala da importância de Winona Ryder como musa perturbadinha do cinema, entre outros temas. Confere aí.

Via Laughing Squid.