Em 2007, a Microsoft decidiu apresentar seus computadores caseiros de uma forma… Bom, “inovadora” é uma maneira de descrever tudo. Foi quando eles decidiram mandar fazer o livro Mommy, why is there a server in the house?.

Acontece nas melhores famílias: pais podem ter bastante dificuldade de explicar certas coisas para os filhos. Tanto que – você já leu sobre isso aqui – há livros BASTANTE específicos para estimular conversas na família, como A noite em que papai foi preso. Em 2007, a empresa de Bill Gates decidiu lançar mão do mesmo método para explicar porque é que uma família precisava de vários computadores interligados e de um servidor caseiro. Se havia tanta dúvida assim da parte dos filhos em relação a assuntos como esse, só Deus sabe.

Mommy, why is there a server in the house? é apresentado na capa como tendo sido escrito por “Tom O’Connor, Ph.D”. O curioso é que numa das primeiras folhas, o livro desmonta a farsa. Olha aí.

“Tom O’Connor não tem Ph.D. Aliás, ele nem sequer existe. Esta é uma obra de ficção. Mas o Windows Home Server existe de verdade”. Valeu por avisar.

“Sabe o que é um servidor? Aposto que você sabe? (ué, então por que escreveu o livro?) Um servidor é uma caixa engraçada que faz amizade com computadores (ah, bom)“.

“Gente grande tem um servidor no escritório. Escritório é um lugar chato em que gente grande vai pra fazer coisas chatas”: Se você quiser que seu filho cresça achando que trabalhar é um saco, só dar este livro para ele.

“Escritórios são a razão pela qual as pessoas ficam mal humoradas e falam palavrões”. Achava que fosse o péssimo desempenho dos times de futebol que causasse isso.

Já os servidores que vão para a sua casa, querido leitor, são bonzinhos e deixam todo mundo feliz. Quando a internet cai, não, aí pode xingar.

“Quando mamãe e papai se amam muito, papai quer dar à mamãe um presente especial”. Se essa ilustração estivesse num livro infantil dos anos 1970 estilo De onde vêm os bebês, acharia que viria um filhinho por aí. Mas o presente especial é um servidor da Microsoft mesmo.

“Então ele instala o servidor. É fácil! Ele faz tudo sozinho”. Atenção, empoderadas: é o papai que deve instalar o aparelho.

Agora tá todo mundo conectado.

Conecte-se a toda a família. Até mesmo com parentes que moram perto, como o avô e avó. Ou aquele seu tio que tem fedor de cachorro. Rapaz.

Quando você está na escola, pode continuar conectado ao computador de casa. Não quer nada com a hora do Brasil, né filho (a)?

Arquivos não se perdem nem mesmo se seu cachorro fizer xixi no computador. Pais, orientem os filhos a não deixarem o laptop aberto.

Uma verdade fatal está para aparecer.


Crianças são tão malvadas que fazem bullying até por causa de… um servidor da Microsoft.

E são tão malvadas que têm inveja de gente que tem um aparelho desses em casa.

Ao bullyinizador (e fofoqueiro) da rua, resta ver as luzes do servidor piscando pela fresta da cortina. Como diz o ditado, “se a sua estrela não brilha, não tente apagar a minha”.

“Abençoa Senhor, as famílias, amém/Abençoa Senhor, a minha também” (GATES, Bill)

Se você quiser um livro desses em casa, resolvemos seu problema. A Amazon está vendendo a publicação por US$ 92,15.