Pouco antes de morrer e retomando o T. Rex com o (bom) disco Dandy in the underworld, Marc Bolan foi convidado pela emissora britânica iTV para ter um programa de TV só seu, o Marc. Foi uma fase que durou bem pouco tempo. Foram produzidos só seis episódios semanais, que poderiam ter se estendido para mais uma temporada caso Marc não tivesse morrido em 16 de setembro daquele ano.

Esse material teve poucas edições em DVD, uma delas exclusiva para o mercado japonês. Cinco dos seis episódios foram jogados na web – falta só o quinto. A duração de cada um é bem curta e vale a pena dar uma olhada. Nem que seja para relembrar por alguns instantes um dos maiores ídolos do rock dos anos 1970, que saiu de cena há 40 anos. E parecia em vias de iniciar algo completamente diferente naquele momento.

Na época, Bolan, para as gerações mais recentes, era um ex-ídolo. Que, diferentemente do amigo David Bowie, sempre atrás das novas ondas, não conseguiu manter-se em evidência no mercado. Bolan e Bowie chegaram a gravar um single juntos em 1970, The prettiest star. E o produtor de ambos, Tony Visconti, chegou a falar em uma entrevista que aquela tinha sido a última época em que os dois poderiam ter feito algo em parceria. “Foi a única época em que os egos de ambos permitiriam isso”, contou.

O programa de Bolan era um misto de curadoria de novidades do rock com uma e outra breguice – incluindo vinhetas animadas e um e outro número de dança, lembrando uma estética que, nos anos 1970, seria bastante usada na televisão aqui no Brasil. Como o punk havia se imposto como a grande novidade do rock e varrido vários ídolos do cenário (o próprio Bolan foi um deles), ele ganhou espaço na sexta e última edição. Rolaram aparições de Generation X (com Billy Idol no vocal) e Eddie & The Hot Rods. No quarto episódio, ele apresentou uma aparição solo de Roger Taylor, baterista do Queen, cantando I wanna testify.

Na sexta e última edição de Marc, a atração era ninguém menos que David Bowie. O cantor resolvera sair do isolamento da era do disco Low para começar a divulgar Heroes, e estava fazendo aparições na TV. Mesmo nunca tendo perdido contato, os dois estavam afastados havia algum tempo e a aparição de Bowie, cantando uma versão mais orgânica de Heroes, foi emocionante, com direito a uma jam dos dois final, com o T Rex. O programa acabou só indo ao ar em 28 de setembro, doze dias depois da morte de Bolan.

Na época, Marc costumava falar que ele e Bowie iriam gravar um disco juntos, e os dois realmente tinham feito uma parceria depois desse número juntos, Madman. A música não foi gravada por nenhum dos dois e acabou indo parar no repertório de uma banda new wave chamada Cuddly Toys, em 1979.

Uma estranha curiosidade é que Bowie, nessa de sair da toca e aparecer na televisão, também gravou um número em Merrie Olde Christmas, especial de Natal de Bing Crosby. Cantou com ele Peace on Earth e Little drummer boy. E Bing também morreu antes que o programa fosse ao ar – saiu de cena em 14 de outubro daquele ano. Olha o encontro dos dois aí.